Para um uso não dualista dos conceitos vigotskianos, entre questionamentos psicológicos e sociológicos

Autores

  • Jean-Yves Rochex

DOI:

https://doi.org/10.22481/aprender.v0i23.7254

Resumo

O chamado à apresentação no colóquio3 de onde surge a presente obra convida o leitor a avaliar as contribuições e os limites do trabalho de Vigotski a “pensar a educação e a formação”, principalmente face aos “ataques em larga escala dos quais a escola é hoje vítima”. Tal desafio requer, sem dúvida, a renovação de nossas perguntas sobre a escola e a escolarização. Entretanto, o que será aqui discutido não pode ser feito somente sob o ponto de vista escolar ou didático, sem repensar a relação entre o que a escola é ou não é, sem analisar de perto o que se importa ou se exporta, o que circula, se confronta e atua a partir de um universo de socialização ou de uma esfera de experiência com o outro, as relações de continuidade, descontinuidade e ruptura, e as modalidades de troca ou desqualificação entre os diferentes modos de fazer e de pensar que estão em prática. Também sustentarei aqui uma reflexão e discussão já iniciadas em colóquios anteriores dedicados à fecundidade do trabalho de Vigotski

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-09-05

Como Citar

Rochex, J.-Y. (2020). Para um uso não dualista dos conceitos vigotskianos, entre questionamentos psicológicos e sociológicos. Aprender - Caderno De Filosofia E Psicologia Da Educação, (23), 104-114. https://doi.org/10.22481/aprender.v0i23.7254