Institucionalização da gestão de riscos em uma empresa de energia

  • Uajará Pessoa Araújo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Bernard Cardoso Oliveira Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Débora Dia Resende Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Moisés Luna Brandão Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Poliana Gomes Sabino Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Renata Ramos Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Rodolfo Carvalho Leite Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Viviane Miranda de Araújo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Resumo

A investigação teve como objetivo estudar a (eventual) institucionalização da gestão de riscos da
Cemig. Trata-se de um estudo de caso descritivo, longitudinal, documental, que empregou a análise categórica de
conteúdo de Relatórios da Administração da empresa dos anos 2004 a 2017 e outros documentos públicos,
coerente com o paradigma interpretativista e o arcabouço teórico do Neo-institucionalismo privilegiados pela
concepção da pesquisa. Foram encontradas, trabalhadas e classificadas 1300 evidenciações da gestão de risco
entre categorias e subcategorias do COSO. Os dados revelaram que a empresa desenvolveu seu sistema de gestão
de risco ao longo de todo o período, mas esse ainda não teve oportunidade de se consolidar e assim a
institucionalização das práticas capazes de assegurar o aproveitamento das oportunidades e o controle das
ameaças de forma sistemática e “natural” ainda está por acontecer.

Publicado
2018-11-30
Como Citar
ARAÚJO, Uajará Pessoa et al. Institucionalização da gestão de riscos em uma empresa de energia. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, [S.l.], p. 22, nov. 2018. ISSN 2358-1212. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/ccsa/article/view/4456>. Acesso em: 24 mar. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/ccsa.v15i26.4456.
Seção
Artigos