Migração e classe criativa: evidências para o Brasil com base em uma análise multinomial

  • Verônica de Castro Lameira Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Sibelle Cornélio Diniz Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Recentemente, a literatura econômica tem incorporado a produção artística, cultural e criativa às
amenidades urbanas, ou seja, o conjunto de características e atividades capazes de gerar externalidades positivas
sobre residentes e visitantes, elevando seu bem-estar. Do mesmo modo, a concentração da chamada “classe
criativa” vem sendo reconhecida como uma vantagem comparativa de certas cidades, facilitando sua inserção
competitiva na “economia do conhecimento” e gerando efeitos multiplicadores internos à região ao induzir a
substituição de importações. Nessas análises, os trabalhadores culturais e criativos são entendidos como uma
classe de alta mobilidade no território, cujas decisões locacionais estariam relacionadas à capacidade de atração e
retenção desses trabalhadores das regiões. Este artigo investiga essa hipótese para o Brasil, buscando responder a
duas grandes questões: i) a probabilidade de migração desse grupo é diferente conforme a região de destino?;ii) as
razões individuais para a migração diferem das dos demais grupos de trabalhadores? São utilizados dados
individuais do Censo Demográfico de 2010. Aspectos individuais das decisões migratórias são investigados com
base em modelos multinomiais. Os resultados sugerem respostas positivas aos dois questionamentos.

Publicado
2019-07-16
Como Citar
LAMEIRA, Verônica de Castro; DINIZ, Sibelle Cornélio. Migração e classe criativa: evidências para o Brasil com base em uma análise multinomial. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, [S.l.], p. 29, jul. 2019. ISSN 2358-1212. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/ccsa/article/view/5368>. Acesso em: 22 ago. 2019.
Seção
Artigos