Agrobiodiversidade e Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCS): inter-relações com povos tradicionais e comunidades locais

  • Vangivaldo de Menezes Souza
  • Anibal de Freitas Santos Júnior
  • Clícia Maria de Jesus Benevides

Resumo

O presente artigo trata das bases epistemológicas de um estudo em andamento sobre a agrobiodiversidade e as Pancs, nos povoados de Gravatá de Baixo e Baixa Grande, este último, uma comunidade quilombola. Ambas as comunidades localizam-se no município de Muritiba, Bahia, e são formadas por pequenos trabalhadores rurais, que cultivam plantas como mandioca, aipim, citros, cereais e verduras, base da cultura alimentar da região. Nesse contexto, o cultivo tradicional nas comunidades locais da região colabora para a manutenção da agrobiodiversidade. O modo próprio de plantar e de colher desses agricultores baseia-se nas tradições passadas de uma geração para a outra e pode ter influência direta na cultura alimentar da região. Dessa forma, o objetivo é dialogar sobre as bases epistemológicas que favoreçam a análise das inter-relações de cooperação entre as comunidades locais e povos tradicionais por meio da agrobiodiversidade e da utilização da Pancs, nos povoados de Gravatá de Baixo e Baixa Grande, município de Muritiba- Bahia. Trata-se de um estudo desenvolvido mediante uma abordagem qualitativa e pesquisa exploratória transversal descritiva. O método utilizado foi a pesquisa-ação.

Publicado
2019-12-04
Como Citar
SOUZA, Vangivaldo de Menezes; JÚNIOR, Anibal de Freitas Santos; BENEVIDES, Clícia Maria de Jesus. Agrobiodiversidade e Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCS): inter-relações com povos tradicionais e comunidades locais. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, [S.l.], p. p. 163-178, dez. 2019. ISSN 2358-1212. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/ccsa/article/view/5852>. Acesso em: 18 jan. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/ccsa.v16i28.5852.
Seção
Dossiê