A evolução do conceito de trabalho e sua relação com o desenvolvimento econômico

  • Francisco Alves Queiroz
  • Laumar Neves de Souza

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar historicamente as relações da categoria trabalho e desenvolvimento econômico, a evolução do conceito de trabalho, bem como a transição do trabalho escravo para o assalariado. Para tanto, realizou-se um estudo bibliográfico que descreve os aspectos conceituais do trabalho fundamentado no prisma marxista. A pesquisa parte da premissa de que a capacidade produtiva da sociedade está aliada ao uso do trabalho como mercadoria e que a classe burguesa produz riqueza via exploração do trabalhador. O investimento no trabalhador não acompanha o processo de incorporação de progresso tecnológico às máquinas e equipamentos, e isso promove um desequilíbrio estrutural na sociedade. O acúmulo de riqueza ocorreu, primeiramente, entre a nobreza e o clero, depois, na classe burguesa capitalista. A sociedade e o Estado devem se empenhar em produzir um mercado de trabalho menos fragmentado, com a ampliação das relações assalariadas, sujeitas à proteção social e à homogeneização das condições de trabalho. Segundo a pesquisa, um dos fatores principais para o efetivo desenvolvimento é a criação de emprego, com remuneração que permita a manutenção das condições essenciais à vida.

Biografias do Autor

Francisco Alves Queiroz

Doutor em Desenvolvimento Regional e Urbano pela Universidade Salvador (UNIFACS), Laureate International Universities. Professor da Faculdade Adventista da Bahia (FABDA) e professor substituto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Laumar Neves de Souza

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor da Universidade Salvador (UNIFACS), Laureate International Universities. 

Publicado
2020-05-11
Como Citar
QUEIROZ, Francisco Alves; SOUZA, Laumar Neves de. A evolução do conceito de trabalho e sua relação com o desenvolvimento econômico. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, [S.l.], p. p. 146-160, maio 2020. ISSN 2358-1212. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/ccsa/article/view/6647>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/ccsa.v17i29.6647.
Seção
Artigos