Sobre o Status Morfofonológico e Prosódico das Formas Futuras em Português Arcaico (On the Morpho- Phonological and Prosodical Status of The Future Form in Archaic Portuguese )

Resumo

O objetivo do presente artigo é discutir o status morfofonológico das formas verbais de futuro em Português Arcaico, a partir de evidências provindas de seu comportamento prosódico: se formas simples, constituídas a partir da flexão regular da base, ou se formas compostas, constituídas a partir da junção do infinitivo com um auxiliar flexionado. Apesar de tradicionalmente as formas verbaisde futuro serem consideradas como simples, a sua pauta prosódica sugere que se trata de compostos. Também sustenta a consideração de sua natureza como composta o fato de somente os tempos futuros aceitarem mesóclise, variação com formas com o auxiliar no início – viverey ou ey a viver, viveria ou ia a viver – e “coordenação” de dois verbos, a partir de uma só “terminação”.
PALAVRAS-CHAVE: Fonologia. Português Arcaico. Verbos. Compostos. Prosódia. Acento.

ABSTRACT
This paper aims to discuss the morphophonological status of future tenses verbal forms in Archaic Portuguese. From the viewpoint of word formation, these verbal forms can be interpreted as the result of the regular inflexion of the base, or as compounds, formed by the main verb infinitive followed by an inflected auxiliary verb. Evidences are provided mainly by their prosodic behaviour, in comparison to other verbs. Although future forms are traditionally considered as simple verbal forms, their prosodic behaviour suggests that they are in fact compounds. Arguments that support this position are: the possibility of collocation of the clitic pronoun only in the middle future verbs; the variation with auxiliary initial verbal expressions (viverey or ey a viver, viveria or ia a viver), and the coordination of two verbs with only one future “mark”.
KEYWORDS: Archaic Portuguese. Verbs. Compounds. Prosod. Stress.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Gladis Massini-Cagliari é doutora pela Universidade Estadual de Campinas e Livre Docente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho. Realizou pós-doutorado Oxford University Linacre College, OXFORD UNIVERSITY, Grã-Bretanha. Bolsista de produtividade do CNPq. Líder do grupo de pesquisa Fonologia do Português Arcaico e membro do grupo de pesquisa Grupo de Estudos em Lingüística Histórica. Autora de vários artigos publicados em periódicos internacionais, dentre eles: Revisitando o Aacento do Português Arcaico a partir de uma Abordagem Otimalista: o Padrão dos verbos; Language Policy in Brazil: Monolingualism and Linguistic Prejudice; A Silabação da Seqüência a+i em Português Arcaico: uma Abordagem Otimalista da Distinção entre Ditongos e hiatos. Autora de vários livros, dentre os quais: Acento e Ritmo; O Texto na Alfabetização: Coesão e Coerência; Poético ao Lingüístico no Ritmo dos Trovadores: Três Momentos da História do Acento; Co-autora dos livros: Diante das Letras: a Escrita na Alfabetização; Descrição do Português: Lingüística Histórica e Historiografia Lingüística; Estudos de Lingüística Histórica do Português.

Referências

AFONSO X, O SABIO. Cantigas de Santa María. Edición fac-símile do Códice de Toledo (To). Biblioteca Nacional de Madrid (Ms. 10.069). Vigo: Consello da Cultura Galega, Galáxia, 2003.
ALFONSO X, EL SABIO. Cantigas de Santa Maria. Edición facsímil del códice T.I.1 de la Biblioteca de San Lorenzo el Real de El Escorial, siglo XIII, 2 v. Madrid: Edilan, 1979.
ALFONSO X, EL SABIO. Cantigas de Santa Maria. Edición facsímil del códice B.R.20 de la Biblioteca Centrale de Florencia, siglo XIII, 2 v. Madrid: Edilan, 1989-1991.
ALI, M. S. Gramática Histórica da Língua Portuguesa. 7. ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1971.
ANGLÉS, H. La Música de las Cantigas de Santa María del Rey Alfonso el Sabio. Facsímil, transcripción y estudio critico por Higinio Anglés. Barcelona: Diputación Provincial de Barcelona; Biblioteca Central;
Publicaciones de la Sección de Música, 1943-1964.
BISOL, L. O acento e o pé métrico binário. Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, n. 22, p. 69-80, 1992.
CAGLIARI, L. C. Acento em Português. Campinas: edição do autor, 1999. (Coleção Espiral).
CÂMARA JR., Joaquim Mattoso. Estrutura da Língua Portuguesa. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 1985. [1a edição: 1970].
CÂMARA JR. História e Estrutura da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1985.
CANCIONEIRO da Ajuda. Edição Fac-similada do códice existente na Biblioteca da Ajuda. Lisboa: Edições Távola Redonda, 1994.
CANCIONEIRO da Biblioteca Nacional. Reprodução fac-similada. Lisboa: Biblioteca Nacional; Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982. (Colocci-Brancuti). Cod. 10991.
COUTINHO, I. de L. Pontos de Gramática Histórica. 6. ed., rev. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1973.
KEHDI, V. Morfemas do Português. São Paulo: Ática, 1990.
LAROCA, M. N. C. Manual de Morfologia do Português. Campinas: Pontes; Juiz de Fora: UFJF, 1994.
MASSINI-CAGLIARI, G. Cantigas de amigo: do ritmo poético ao lingüístico. Um estudo do percurso histórico da acentuação em Português. 1995. Tese (Doutorado) – Campinas: Unicamp, 1995.
MASSINI-CAGLIARI, G. Do poético ao lingüístico no ritmo dos trovadores: três momentos da história do acento. Araraquara: FCL, Laboratório Editorial, Unesp; São Paulo: Cultura Acadêmica, 1999.
MATEUS, M. H. M. O acento de palavra em português: uma nova proposta. Boletim de Filologia. Tomo XXVIII. Lisboa: Centro de Lingüística da Universidade de Lisboa, p. 211-229, 1983.
MATEUS, M. H.; d’ANDRADE, Ernesto. The Phonology of Portuguese. Oxford: Oxford University Press, 2000.
MATTOS E SILVA, R. V. Estruturas Trecentistas – Elementos para uma Gramática do Português Arcaico. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1989.
MICHAËLIS, C. de V. Cancioneiro da Ajuda. Edição de Michaëlis de Vasconcelos. Reimpressão da edição de Halle (1904), acrescentada de um prefácio de Ivo Castro e do Glossário das cantigas (Revista Lusitana, XXIII). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1990.
MONTEIRO, J. L. Morfologia Portuguesa. Campinas: Pontes, 1991.
NUNES, J. J. Compêndio de Gramática Histórica Portuguesa – Fonética e Morfologia. 9 ed. Lisboa: Livraria Clássica Editora, 1989.
ROCHA LIMA, C. H. da. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 22. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1982.
SILVA NETO, S. da. História da Língua Portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1970. [1a edição: 1957].
WILLIAMS, E. B. Do Latim ao Português. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975.
Publicado
2006-06-30
Como Citar
MASSINI-CAGLIARI, Gladis. Sobre o Status Morfofonológico e Prosódico das Formas Futuras em Português Arcaico (On the Morpho- Phonological and Prosodical Status of The Future Form in Archaic Portuguese ). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 3, n. 1, p. 91-104, jun. 2006. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1010>. Acesso em: 15 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v3i1.1010.