Negação e Sintagma Modo em Línguas Pano. (Negation and Mood Phrase in Panoan Languages.)

Resumo

Este trabalho compara duas línguas da família Pano internamente afastadas e faladas na Amazônia ocidental - as línguas Matsés e Marubo. O tópico principal para a comparação é a negação, buscando-se evidências para relacionar, nas línguas abordadas, tempo, aspecto e modo. Os resultados do trabalho comparativo sustentam uma projeção funcional Modo como relevante para as línguas focalizadas, podendo-se ter como hipótese de trabalho que essa projeção seja relevante para outras línguas da família.
PALAVRAS-CHAVE: Sintaxe. Negação. Tempo-Aspecto. Modo. Línguas Pano.

ABSTRACT
This paper compares two Panoan languages spoken in Western Amazon which are internally distant: Matsés and Marubo. The main basis for comparison is negation, on which we try to provide evidences to relate tense, aspect and mood. Our comparative findings support Mood as a functional projection. Considering Mood Phrase as revelant for those languages, our hypothesis may be also plausible for other languages concerning the same family.
KEYWORDS: Syntax. Negation. Tense-aspect. Mood. Panoan languages.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Marília Facó Soares defendeu tese de doutorado, na UNICAMP, em 1992, sobre a língua Tikuna que, falada pelo maior grupo indígena do Brasil, possui também falantes no Peru e na Colômbia. Atualmente atua no programa de Pós-Graduação em Lingüística (Faculdade de Letras/UFRJ) e no programa de Pós-Graduação em antropologia Social (Museu Nacional/ UFRJ). Prossegue com suas investigações sobre essa língua e conhece línguas da família Tupí-Guaraní, assim como línguas da família lingüística Pano. É autora de 121 trabalhos publicados/divulgados. Orientou 11 teses/dissertações em Lingüística, 09 bolsistas de Iniciação Científica e é orientadora de 05 teses/dissertações em andamento. Possui atuação no campo da educação indígena, com assessoria, por mais de dez anos, a projetos diretamente voltados para populações indígenas. Coordenou projetos de colaboração com equipes francesas e recebeu, em 2000 e 2002, prêmio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (“Cientistas do Nosso Estado”) pela elaboração de projetos voltados para línguas indígenas.

Referências

CAMARGO, E. Phonologie, morphologie et syntaxe. Etude descriptive de la langue Caxinaua (Pano). 1991. 448f. Tese (Doutorado em Lingüística) - Université Paris-Sorbonne, Paris IV, Paris, 1991.
COLINI, G. Gli Indiani dell’Alto Amazzon. Bolletino della Societá Geográfica Italiana, Roma v. 22, p. 528-555, 1884.
COMRIE, B. Tense. 4nd ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.
COSTA, R.G.R. Padrões rítmicos e marcação de caso em Marubo (Pano). 1992. 287f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1992.
COSTA, R.G.R.. Aspectos da fonologia Marubo (Pano): uma visão não-linear. 2000. 261f. Tese (Doutorado em Lingüística] – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.
DORIGO-CARVALHO, C. T. A decodificação da estrutura frasal em Matsés. 1992. 187f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1992.
DORIGO, C.T. Fonologia Matsés: uma análise baseada em restrições. 2001. 247p. Tese (Doutorado em Lingüística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001.
DORIGO, C.T.; COSTA, R.G.R. Aspectos da negação em Matsés e Marubo (Pano). Ms. 1996.
ERIKSON, P. El sello de los antepasados. Marcado del cuerpo y demarcación étnica entre los Matis de la Amazonía. Lima: Quito, Abya-Yala / Instituto Francés de Estudios Andinos (IFEA), 1999.
FERREIRA, R.V. Língua Matis: aspectos descritivos da morfossintaxe. 2001. 172f. Dissertação (Mestrado em Lingüística] – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.
LANES, E.J. Mudança fonológica em línguas Pano. 2000. 212 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.
LANES, E.J. Aspectos da mudança lingüística em um conjunto de línguas amazônicas: as línguas Pano. 2005. 400f. Tese (Doutorado em Lingüística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.
LOOS, E. Pano. In: DIXON, R. M. W.; AIKHENVALD, A. Y. The Amazonian languages. Cambridge, Cambridge University Press, p. 227-249, 1999.
MELATTI, J.C. Estrutura social Marubo: um sistema australiano na Amazônia. Anuário Antropológico, Rio de Janeiro, v. 76, p. 83-120, 1977.
VALENZUELA, P. Ergatividad escindida em wariapano, yaminawa y shipibo-konibo. In: VOORT, H. & KERKE, S. (eds.) Indigenous Languages of Latin America (ILLA) 1. Essays on indigenous languages
of lowland South America contributions to the 49th International Congress of Americanists in Quito 1997. Leiden: Universiteit Leiden, [s.p.] 2000.
Publicado
2006-12-30
Como Citar
SOARES, Marília Facó. Negação e Sintagma Modo em Línguas Pano. (Negation and Mood Phrase in Panoan Languages.). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 4, n. 1, p. 99-115, dez. 2006. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1027>. Acesso em: 16 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v4i1.1027.