O que diz o professor orientador de mestrado sobre o seu fazer? Uma análise interdiscursiva à luz da ACD (The advisor's view on his/her role: an interdiscursive analysis based on CDA)

Resumo

Este trabalho concentra-se na voz de orientadores sobre sua prática social. De caráter interpretativo, conta com a participação de orientadores de mestrado em Linguística/Linguística Aplicada, no Rio de Janeiro. Pautada na segunda dimensão proposta pela Análise Crítica do Discurso (ACD), a análise dos dados, através da interdiscursividade, possibilitou interpretar que os sujeitos da pesquisa atuam na idiossincrasia, e que os principais atores sociais desse fazer são orientador e orientando em relação assimétrica de poder. O estudo possibilitou, ainda, a) a reflexão dos sujeitos sobre seus papéis/atribuições; e b) a atualização do aporte teórico, aplicado a um tema ainda pouco explorado.
PALAVRAS-CHAVE: ACD. Interdiscursividade. Discurso do Professor-Orientador.


ABSTRACT
This paper attempts to answer what advisers have to say about their social practice. Interpretive in nature, this research counts with data generated by advisers of master in Linguistics/Applied Linguistics from Rio de Janeiro. Through the Critical Discourse Analysis’s (CDA) Second Dimension, interdiscourse analysis confirms the interpretation that advisers act on idiosyncrasy, and that the main social actors of this act are the adviser and his/her mentees, in an asymmetrical relationship of power. The survey also allowed other discussions: a) the reflection of the subjects about their roles and responsibilities; and b) to update the theoretical approach, applied to a topic less explored.
KEYWORDS: CDA. Interdiscourse Analysis. Adviser Discourse. Master Degree.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Silvia Adélia Henrique Guimarães é Mestre em Linguística pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com ênfase em Análise Crítica do Discurso e Linguística Sistêmico-Funcional. É doutoranda em Letras pela mesma instituição.

Referências

ALVEZ-MAZZOTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa, 2 ed. São Paulo: Pioneira, 1999.
BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. (Org.). A Bússola do escrever – desafios e estratégias na orientação e escrita de teses e dissertações. 2ed. São Paulo: Cortez, 2006.
FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: UnB, 2001.
FAIRCLOUGH, N. Analyzing Discourse: textual analysis for social research. London: Routledge, 2003.
FLECHA, B. S. C. Mestrandos à deriva: cadê o orientador? Assembleia legislativa do Estado de Minas Gerais. Estudos temáticos, 2003. . Acesso em 27/05/2010.
FOUCAULT M. A ordem do discurso. 19. ed. São Paulo: Loyola, 2009.
GUIMARÃES, S.A.H. Trazendo à baila a voz que fomenta pesquisas em linguagem: uma análise crítica do discurso do professor-orientador através do Sistema de Transitividade. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.
MEURER, José Luís. Ampliando a noção de contexto na lingüística sistêmico-funcional e na análise crítica do discurso. Linguagem em (dis)curso - lemd, Tubarão, v. 4, n.esp, p. 133-157, 2004 . Acesso em 16/08/2010.
Publicado
2014-12-30
Como Citar
GUIMARÃES, Silvia Adélia Henrique. O que diz o professor orientador de mestrado sobre o seu fazer? Uma análise interdiscursiva à luz da ACD (The advisor's view on his/her role: an interdiscursive analysis based on CDA). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 12, n. 2, p. 235-253, dez. 2014. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1263>. Acesso em: 22 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v12i2.1263.