A representação da indisciplina escolar em revistas brasileiras: uma análise discursiva crítica (The school indiscipline representation in brazilian magazines: a critical discursive analysis)

  • Maria Aparecida Resende Ottoni da Universidade Federal de Uberlândia (UFU/Brasil) http://orcid.org/0000-0003-3674-3407
  • Monithelli Aparecida Estevão de Moura Universidade Federal de Uberlândia (UFU/Brasil)

Resumo

Apresentamos resultados parciais de uma pesquisa, na qual analisamos a representação discursiva da indisciplina escolar em gêneros publicados em duas revistas de circulação nacional, voltadas para professores, e em duas voltadas para leitores em geral. Para isso, apoiamo-nos nos pressupostos teóricos da Análise de Discurso Crítica. Os resultados mostram que as vozes dos alunos e de seus responsáveis não são incluídas nos textos. Quanto à voz dos professores, ela é incluída apenas nas revistas voltadas para leitores em geral. Contudo, na maioria das ocorrências, colabora para a construção de uma representação identitária enfraquecida desses atores sociais.
PALAVRAS-CHAVE: Indisciplina Escolar. Representação. Intertextualidade. Interdiscursividade. Análise de Discurso Crítica.


ABSTRACT
We present the partial results of a study, in which we examine the discursive representation of school indiscipline in two genres published in two national magazines for teachers, and in two magazines made for readers in general. For this, we apply the theoretical assumptions of Critical Discourse Analysis. The results show that the voices of students and their parents are not included in the texts. In relation to the voice of teachers, it is included only in magazines made for readers in general. However, in most instances, it collaborates to construct a weakened identity representation for these social actors.
KEYWORDS: School Indiscipline. Representation. Intertextuality. Interdiscursivity. Critical Discourse Analysis.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Maria Aparecida Resende Ottoni é doutora em Linguística pela Universidade de Brasília (2007), fez estágio de doutoramento na Universidade de Lisboa, em Portugal (2006). É professora do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia (ILEEL/UFU), coordenadora do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Letras e líder do Grupo de Pesquisas e Estudos em Análise de Discurso Crítica e Linguística Sistêmico-Funcional. Entre seus temas de pesquisa, destacam-se: ensino de Língua Portuguesa; gêneros; humor; discurso jornalístico; identidade; representação de atores sociais.

##submission.authorWithAffiliation##

Monithelli Aparecida Estevão de Moura é graduada em Letras. Professora de Francês. Foi bolsista por dois anos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG). É membro do Grupo de Pesquisas e Estudos em Análise de Discurso Crítica e Linguística Sistêmico-Funcional do Instituto de Letras e Linguística da UFU.

Referências

BREY, J. K. Indisciplina na escola. Revista do Professor, Porto Alegre, ano 25, no 98, abr./jun. 2009.
CHOULIARAKI, L.; FAIRCLOUGH, N. Discourse in late modernity: rethinking critical discourse analysis. Edinburgo: Edinburgh University Press, 1999.
COSTAS, R. Com medo dos alunos. Veja, 11 de maio de 2005, p. 62-66. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2010.
FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Coord. e pref. à ed. bras. I. Magalhães. I. Magalhães et al. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 2001.
FAIRCLOUGH, N. Analysing Discourse: Textual Analysis for Social Research. Londres/Nova York: Routledge, 2003.
GENTILE, P. A indisciplina como aliada. Revista Nova Escola, edição no 149, Janeiro/Fevereiro de 2002. p.16-19. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2010.
IOSCHPE, G. Educação de quem? Para quem?. Veja. 16 de janeirode 2008, p. 32-33. Disponível em: . Acesso em 13 mar. 2010.
MENEZES, L. C. A indisciplina ao alcance de todos. Revista Nova Escola, edição no 209, janeiro/fevereiro de 2008. p. 90. Disponível em: . Acesso em 25 mar. 2010.
MOURA, M. A. E. de; OTTONI, M. A. R. A representação da indisciplina nas revistas “Nova Escola” e “Do Professor”: uma análise discursiva crítica. Horizonte Científico. Uberlândia, v. 5, n. 2, p. 1-30, 2011. Disponível em: .
MOURA, M. A. E. de; OTTONI, M. A. R. Uma análise discursiva crítica da representação da indisciplina em reportagens e artigo de opinião das revistas “Veja” e “Época”. Horizonte Científico. Uberlândia, v. 6, n. 1, p. 1-29, 2012. Disponível em: .
PEREIRA, C. Quando ensinar é uma guerra. Veja. 17 de junho de 2009, p. 96-101. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2010.
RAMALHO, V.; RESENDE, V. de M. Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas: Pontes Editores, 2011.
THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1995.
VAN LEEUWEN, T. A representação dos atores sociais. In: PEDRO, E. R. (org.) Análise crítica do discurso: uma perspectiva sociopolíticae funcional. Lisboa: Caminho, 1997, p. 169-222.
VICÁRIA, L.; COTES, P. Muito além do castigo. Época. 16 de maiode 2005, p. 52-55. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2010.
VICHESSI, B.; MOÇO, A.; GURGEL, T. Indisciplina: como se livrar dessa amarra e ensinar melhor. Revista Nova Escola, edição no 226, outubro de 2009. p.78-89. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2010.
ZAGURY, T. O professor refém: para pais e professores entenderem por que fracassa a educação no Brasil. Rio de janeiro: Record, 2006a.
ZAGURY, T. Limites sem trauma. 74. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006b. 178p.
Publicado
2014-12-30
Como Citar
RESENDE OTTONI, Maria Aparecida; ESTEVÃO DE MOURA, Monithelli Aparecida. A representação da indisciplina escolar em revistas brasileiras: uma análise discursiva crítica (The school indiscipline representation in brazilian magazines: a critical discursive analysis). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 12, n. 2, p. 255-274, dez. 2014. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1264>. Acesso em: 23 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v12i2.1264.