A língua, pela enunciação, na escola (The language, by enunciation, at school)

Resumo

Este artigo discute o ensino de língua portuguesa na escola, sublinhando o trabalho de texto em sala de aula e de como o sentido se constrói em cada sintagma organizado, possibilitando a arquitetura do nível semântico de um texto. Assim, no quadro da enunciação, registramos algumas posturas que devem ser adotadas para o estudo do texto em situação de sala de aula. O emprego das formas da língua aponta para uma construção, possível, do sentido de um texto.
PALAVRAS-CHAVE: Enunciação. Texto. Sentido. Ensino de língua.


ABSTRACT
This article discusses the teaching of Portuguese language at school, underlining the work with texts in the classroom. Besides that, we examine how the meaning is built in each organized phrase, allowing the architecture of the semantic level of a text. Thus, in the context of enunciation, we bring out some propositions that should be adopted to the study of the text in the classroom situation. The use of language forms points to a possible text meaning construction.
KEY-WORDS: Enunciation. Text. Meaning. Language Teaching.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Claudia Toldo é Mestre em Letras e Doutora em Linguística Aplicada (PUCRS, 2002). Realizou Pós-doutorado em Linguística Aplicada (UFRGS, 2012). É Professora do PPGL e do curso de Letras da Universidade de Passo Fundo (UPF). É Bolsista Produtividade CNPq.

##submission.authorWithAffiliation##

Marlete Sandra Diedrich é Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Mestre em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Foi coordenadora institucional do Pibid UPF de 2013 a 2016. Atualmente é professora da Universidade de Passo Fundo, atuando especialmente nos cursos de Licenciatura da Instituição e no Programa de Pós-Graduação em Letras. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em teorias do texto e do discurso. São temas recorrentes em seus trabalhos: texto falado, discurso e enunciação, linguagem da criança, ensino de língua materna. É sócio efetivo da Associação Brasileira de Linguística - ABRALIN e da Associação de Linguística e Filologia da América Latina - ALFAL. É membro do Grupo de Trabalho de Psicolinguística da ANPOLL.

Referências

ANTUNES, Irandé. Análise de textos: fundamentos e práticas. São Paulo: Parábola, 2010.
ANTUNES, Irandé . Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola, 2007.
BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral. Tradução de Maria da Glória Novak e Luiza Neri. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976. Edição Original : 1966
BENVENISTE, Émile . Problemas de Linguística Geral II. Revisão Técnica da Tradução: Eduardo Guimarães. Campinas : Pontes, 2006. Edição Original : 1969
BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília : Ministério da Educação e do Desporto. 1997.
FLORES, V. et al. Enunciação e gramática. São Paulo: Contexto, 2008.
FLORES, V.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.
NORMAND, Claudine; ARRIVÉ, Michel (Dir.). Emile Benveniste vingt ans après. Paris: CRL-Université. LINX. Numéro spécial. p. 195-209.
ONO, Aya. La notion d’énonciation chez Émile Benveniste. Limoges: Lambert-Lucas, 2007.
Publicado
2015-06-30
Como Citar
TOLDO, Claudia; DIEDRICH, Marlete Sandra. A língua, pela enunciação, na escola (The language, by enunciation, at school). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 13, n. 1, p. 117-131, jun. 2015. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1282>. Acesso em: 22 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v13i1.1282.