A linguagem do fora: a interface entre drogas lícitas e ilícitas em saúde mental (An outside language: an interface between legal and illegal drugs in mental health care)

  • Sandro Rodrigues Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP/Brasil)
  • Eduardo Passos Universidade Federal Fluminense (UFF/Brasil)

Resumo

O artigo discute uma política narrativa para tratar da relação entre psicotrópicos lícitos e ilícitos nas práticas de cuidado em saúde mental, articulando psicodelia e literatura beat com a participação dos autores em uma pesquisa multicêntrica sobre Gestão Autônoma da Medicação (GAM) – abordagem de intervenção em saúde mental surgida no Canadá, nos anos 1990. O artigo desenvolve, a partir da interface entre drogas prescritas e proscritas trabalhada na GAM como fora-eixo, aspectos estéticos e políticos de uma linguagem do fora, em sua potência de interromper ou alterar as cadeias associativas usualmente acionadas pelo tema drogas.
PALAVRAS-CHAVE: Saúde mental. Drogas lícitas e ilícitas. Psicodelia. Literatura beat. Política narrativa.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Sandro Rodrigues é doutor e mestre em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense (2014/2009), com especialização em Psicologia, Subjetividade e Instituições de Saúde pela Faculdade Maria Thereza (2007) e graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Com a maior parte da atuação profissional na interface entre a música e a saúde mental, investigou, na tese Modulações de sentidos na experiência psicotrópica, contribuições da chamada experiência psicodélica para o campo do cuidado de usuários de psicotrópicos lícitos e ilícitos em saúde mental. Atualmente, integra o Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP) e a Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos do Rio de Janeiro (FEDDH-RJ).
##submission.authorWithAffiliation##
Eduardo Passos é doutor em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992); mestre em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1986); graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1981). Foi consultor do MS para a implantação da Política Nacional de Humanização do SUS (2003-2008),  realizou consultoria junto ao International Center for AIDS Care and Treatment Program do Mailman School of Public Health da Universidade de Columbia (EUA) (2008-2009) e no Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP/CFP) como membro da Comissão ad hoc de Metodologia do CREPOP (2010-2011). Assessoria técnica para avaliação dos projetos do NESC/UFRN/MS (2014). É professor associado IV do departamento de Psicologia da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de Psicologia, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas públicas de saúde, método da cartografia, cognição e subjetividade.

Referências

BUENO, E. Introdução: a longa e tortuosa estrada profética [2004]. In: KEROUAC, J. On the road. Porto Alegre: L&PM, 2010. p. 7-18.
BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem [1929]. São Paulo: Hucitec, 2010.
BURROUGHS, W. Electronic Revolution [1970]. In: GRAUERHOLZ, J.; SILVERBERG, I. Word virus: the William S. Burroughs reader. New York: Grove Press, 1998. p. 294-313.
CARROLL, L. Alice: edição comentada. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.
DELEUZE, G. Lógica do sentido [1969]. São Paulo: Perspectiva, 2006a. Edição original: 1969.
DELEUZE, G. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2006b. Edição original: 1986.
DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: 34, 2010. Edição original: 1972.
DELEUZE, G. GUATTARI, F. Postulados da linguística. In _____. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia, v. 2. São Paulo: 34, 1995. p. 11-59. Edição original: 1980.
DERRIDA, J. A farmácia de Platão. São Paulo: Iluminuras, 2005. Edição original: 1972.
GINSBERG, A. Uivo, Kaddish e outros poemas. Porto Alegre: L&PM, 2010.
HARRIS, O. Introdução do editor. In BURROUGHS, W. Junky. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. p. 13-48. Edição original: 2002.
HÖLDERLIN, F. Reflexões. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.
HUXLEY, A. As portas da percepção / O Céu e o Inferno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966. Edições originais: 1954; 1956.
HUXLEY, A. Moksha: textos sobre psicodélicos e a experiência visionária, 1931-1963. Rio de Janeiro: Globo, 1983.
KANT, I. Crítica da Razão Pura. (coleção Os Pensadores). São Paulo: Nova Cultural, 2000. Edição original: 1781.
KARAM, M. L. A Lei 11.343/06 e os repetidos danos do proibicionismo. Em: LABATE et al. (Org.). Drogas e cultura: novas perspectivas. Salvador: Edufba, 2008. p. 105-119.
KEROUAC, J. On the road. Porto Alegre: L&PM, 2010. Edição original: 1957.
LEARY, T.; METZNER, R.; ALPERT; R. The psychedelic experience: a manual based on the Tibetan Book of the Dead. New York: Citadell, 1992. Edição original: 1964.
LEE, M. A.; SHLAIN, B. Acid dreams: the complete social history of LSD, the CIA, the sixties and beyond. Great Britain: Pan Books, 1992. Edição original: 1985.
LEVY, T. S. A experiência do fora: Foucault, Blanchot e Deleuze. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
LIMA, F. R. A experiência do cuidado de si: a clínica entre o cuidado do tempo e o tempo do cuidado. Niterói: Eduff, 2012.
LOURAU, R. René Lourau na UERJ - Análise institucional e práticas de pesquisa. Rio de Janeiro: Uerj, 1993.
LOURAU, R. A análise institucional. Petrópolis: Vozes, 1995. Edição original: 1970.
LOURAU, R. Objeto e método da análise institucional. In: ALTOÉ, S. (Org.). René Lourau, analista institucional em tempo integral. Campinas: Hucitec; 2004a. p. 66-86. Edição original: 1973.
LOURAU, R. Processamento de texto. In: ALTOÉ, S. (Org.). René Lourau, analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004b. p. 199-211. Edição original: 1994.
LOURAU, R. Uma técnica de análise das implicações: B. Malinowski, Diário etnográfico (1914-1918). In: ALTOÉ, S. (Org.). René Lourau, analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004c. p. 259-283. Edição original: 1987.
MAILER, N. The white negro: superficial reflections on the hipster. Disponível em
Último acesso em 13 Maio 2015. Edição original: 1986. Edição original: 1957.
MILES, B. William Burroughs: El hombre invisible – a portrait. New York: Hyperion, 1993.
ONOCKO CAMPOS, R. T. et al. Adaptação multicêntrica do guia para a gestão autônoma damedicação. Interface - Comunic., Saude, Educ, v. 16, n. 43, p. 967-980, 2012.
OSMOND, H. The exploration of experience. Trecho da comunicação científica A Review of the Clinical Effects of Psychotomimetic Agents. Annals N.Y. Acad. Sci., March 14, 1957. Disponível em Último acesso em 13 Maio 2015. Edição original: 1957.
PASSOS, E.; BENEVIDES, R. Por uma política da narratividade. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2010,
p. 151-172.
PASSOS, E.; EIRADO, A. A Noção de Autonomia e a Dimensão do Virtual. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 9, n. 1, p. 77-85, 2004.
PASSOS, E.; EIRADO, A. Cartografia como dissolução do ponto de vista do observador. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 110-131.
PELBART, P. P. O tempo não-reconciliado. São Paulo: Perspectiva, 2004.
RANCIÈRE, J. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: 34, 2005.
RODRIGUES, S. E. Subjetividade, tempo e instituição no empirismo transcendental de Gilles Deleuze. Psicologia em Foco, Aracaju, v.3, n.3, p. 73-86, jul/dez. 2009.
RODRIGUES, S. E. Ritmo e subjetividade: o tempo não pulsado. Rio de Janeiro: Multifoco, 2011.
RODRIGUES, S. E. Modulações de sentidos na experiência psicotrópica. 253 fl.; il. Tese (Doutorado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.
SILVA, A. E.. et al. Memória e alteridade: o problema das falsas lembranças. Mnemosine. v. 2, n. 2, p. 75-86, 2006.
SILVA, A. E., et al. Estratégias de pesquisa no estudo da cognição: o caso das falsas lembranças. Psicologia & Sociedade, v. 22, n. 1, p. 84-94, 2010.
VARGAS, E. V. Fármacos e outros objetos sócio-técnicos. In: LABATE et al. (Org.). Drogas e cultura: novas perspectivas. Salvador: Edufba, 2008. p. 41- 63.
WILLER, Claudio. Geração beat. Porto Alegre: L&PM, 2010a.
WILLER, Claudio. Introdução. In: GINSBERG, Allen. Uivo, Kaddish e outros poemas. Porto Alegre: L&PM, 2010b. p. 7-18.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
RODRIGUES, Sandro; PASSOS, Eduardo. A linguagem do fora: a interface entre drogas lícitas e ilícitas em saúde mental (An outside language: an interface between legal and illegal drugs in mental health care). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 15, n. 1, p. 57-75, jun. 2018. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/2417>. Acesso em: 07 dez. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/estudosdalinguagem.v15i1.2417.