Componentes articulatórios da Libras e a escrita SEL (Libras articulatory components and SEL writing)

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de um projeto de pesquisa que objetivou criar um sistema de escrita para línguas de sinais, que pudesse ser grafado de formar manuscrita e digital e que pudesse ser adquirido por seres humanos com relativa facilidade. Concentramos esforços na investigação da natureza articulatória do sinal da Língua Brasileira de Sinais (Libras) a fim de poder produzir um sistema de representação escrita dessa língua que pudesse se submeter à automatização do processamento. Nossa investigação nos levou à identificação da estrutura articulatória dos sinais da Libras, constituída em quatro níveis hierárquicos. Com base nessa estrutura, elaboramos o sistema de escrita para línguas de sinais SEL, que, além desse critério, fundamenta-se nos aspectos arbitrariedade e linearidade. Como resultado, obtivemos um sistema capaz de representar a Libras na modalidade escrita, de forma linear, abarcando sua tridimensionalidade com alto grau de precisão e atendendo à condição de automatização do processamento na leitura e na escrita.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Adriana Stella Cardoso Lessa-de-Oliveira é doutora e mestre em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas .Atualmente é Professora Titular do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), atuando na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Linguística dessa universidade. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Sintaxe Gerativa e Aquisição da Linguagem, atuando principalmente nos seguintes temas: sintaxe da libras; sintaxe de sentenças relativas em PB; sintaxe e aquisição de interrogativas em PB; aquisição de sentenças relativas em PB e aquisição da escrita de libras e de língua portuguesa por surdos. Desenvolve pesquisa que obteve um produto tecnológico: o sistema de escrita SEL (sistema de escrita para língua de sinais).

Referências

ALMEIDA, Maria Antonieta P. T. Aquisição da estrutura frasal na língua brasileira de sinais. 2013. 91f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Estatual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2013.
ALMEIDA, Maria Antonieta P. T.; LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana S. C. O sinal e a estrutura argumental da Língua Brasileira de Sinais Veredas On-Line – Atemática – 2014/2 - P. 267-289.
BARROS, Mariângela Estelita. ELiS – Escrita das línguas de sinais: proposta teórica e verificação prática. 197f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2008.
BATTISON, R. Phonological deletion in American Sign Language. Sign Language Studies, v. 5, p.1-19, 1974. BATTISON, R. Lexical borrowing in American sign language. Silver Spring, MD: Linstok, 1978.
DUNCAN, S. Gesture in language: Issues for sign language research. In.: EMMOREY, K. (Ed.). Perspectives on classifier constructions in sign language. Mahwah, NJ: Lawrence Earlbaum Associates. 2003. p.259-268.
KATO, M. A. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolingüística. 5ª ed. São Paulo: Ática. 1995.
KENDON, A. Gesture: Visible action as utterance. 1.ed. Cambridge: Cambridge University Press. 2004. 400p.
KLIMA, E.; BELLUGI, U. The signs of language. Cambridge, Mass.: Harvard University Press. 1979. 417p.
LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana S. C. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVEL, v. 10, n. 19, 2012.
[www.revel.inf.br].
_____. Estrita SEL – Sistema de Escrita para Língua de Sinais. [Blog Internet]. Vitória da Conquista, Brasil. Disponível em: .
LIDDELL, S. K. Grammar, gesture, and meaning in American Sign Language. 1.ed. Cambridge: Cambridge University Press. 2003a. 384p.
LIRA, G. A; FELIPE, T. Dicionário da língua brasileira de sinais. 2008. Disponível em: http://www.acessobrasil.org.br/libras/
LYONS, John. Language and Linguistics. University of Cambridge. Paperback. Publication date: June 1981. 370pages.
McCLEARY, L.; VIOTTI, E. Veredas On Line – Atemática –– PPG Linguística/Ufjf – Juiz de Fora. p. 289-304., 1/2011,
McNEILL, D. Hand and mind: What gestures reveal about thought. 1.ed. Chicago/Londres: The University of Chicago Press. 1992. 416p.
SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. 28. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
SOUZA, W. S. M. O discurso de crianças surdas: entre os sons e os sinais. Disponível em:www.cesjf.br/cesjf/documentos/revista_letras_docs/art_alunos/LINGUA_PORT_LING/O_discurso_das_criancas_surdas.pdf. Acesso em: abril de 2009.
STOKOE, W. C. Sing language structure: An Outline of the Visual Communication System of the American Deaf. New York: Buffalo University, 1960.
STUMPF, M. R. O papel da marcação não-manual nas sentenças negativas em língua de sinais brasileira. 2005. 329 p. Tese (Doutorado em Pós-Graduação em Informática na Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.
SUTTON, V. Sign writting. 1974. Disponível em: http://www.signwriting.org. Acesso em: abril de 2009.
Publicado
2019-06-30
Como Citar
CARDOSO LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana Stella Cardoso. Componentes articulatórios da Libras e a escrita SEL (Libras articulatory components and SEL writing). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 17, n. 2, p. 103-122, jun. 2019. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/5338>. Acesso em: 19 nov. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v17i2.5338.