A confluência entre o Funcionalismo e a Gramática de Construções (The confluence between Functionalism and Construction Grammar)

um estudo sobre as construções comparativas no Português Brasileiro

Resumo

Objetivamos, neste artigo, evidenciar os ganhos teórico-metodológicos, frutos da inter-relação do Funcionalismo norte-americano e da Gramática de Construções, principalmente na concepção de que a língua se estrutura a partir de uma rede de construções interconectadas. Com efeito, na análise linguística, são considerados tanto aspectos de forma como de função. Para ilustrar tal questão, utilizamos os dados do estudo realizado por Vieira e Sousa (2019) com foco nas estruturas comparativas instanciadas pelo conector que nem no Português Brasileiro, tomando como amostra os dados de fala dos corpora de fala Popular e Culto de Vitória da Conquista. Os resultados deste trabalho mostraram que o subesquema comparativo, governado pelo que nem, instancia duas microconstruções, sendo uma delas caracterizada pela ancoragem [+ oracional], e a outra marcada pela relação [- oracional]. De forma geral, averiguamos que todas as microconstruções analisadas compartilham da configuração formal-funcional comparativa, aliada a fatores de ordem cognitiva e de (inter)subjetividade.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Caio Aguiar Vieira é mestrando em Linguística (PPGLin) pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), com defesa em março de 2020. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Graduado em Letras pela mesma instituição (2017). Foi bolsista de iniciação científica e é membro do grupo de pesquisa em Sociofuncionalismo e em Linguística Histórica - CNPq. Têm experiência em Linguística, com ênfase em abordagens funcionalistas da gramática e mudança linguística sob a ótica funcionalista, atuando, principalmente, com os seguintes temas: mudanças construcionais e construcionalização gramatical, conectivos, gramática de construções, cognição e subjetividade.

##submission.authorWithAffiliation##

Valéria Viana Sousa é doutora em Letras, área de concentração em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB (2008). Atualmente, é professora titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). É professora pesquisadora  do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLin) e do Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Sociolinguística, Sociofuncionalismo e Gramaticalização. Coordena o projeto de pesquisa "Estudos de Fenômenos Linguísticos na Perspectiva Funcionalista a partir da descrição e análise de corpus da comunidade de fala de Vitória da Conquista".  É líder do Grupo de Estudos em Linguística Histórica e em Sociofuncionalismo - CNPq.

Referências

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2009 [1975].
BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.
BYBEE, J. Mechanisms of change in grammaticization: the role of frequency. In: JOSEPH, B., JANDA, R. (org.). A handbook of historical linguistics. Malden, MA: Blackweel Publishing, 2003.
CROFT, W. Radical construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.
CROFT, W.; CRUSE, D. A. Cognitive linguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
CUNHA LACERDA, P. F. A. O papel do método misto na análise de processos de mudança em uma abordagem construcional: reflexões e propostas. Revista Linguística. Rio de Janeiro. v. 12, n. 1, 2016. p. 83-101.
CUNHA, C; CINTRA, L. F. L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
DEL NERO, H. S. O sítio da mente: pensamento, emoção e vontade no cérebro humano. São Paulo: Collegium Cognitio, 1997.
FILLMORE, C. J. et al. Regularity and idiomaticity in grammatical constructions: the case of let alone, Language, v. 64, n. 3, p. 501-538, Sep. 1988.
FUMAUX, N. C.; ALONSO, K; CEZARIO, M.M. Construcionalização de um monte de SN: uma abordagem centrada no uso. Espírito Santo: Revista Percursos Linguísticos, v. 7, n.14, p. 139-158, 2017.
GEERAERTS, D. "Cognitive Linguistics". In: J. VERSCHUEREN et al. (eds.), Handbook of Pragmatics. Amsterdam: John Benjamins, 1995.
GOLDBERG, A. Constructions: A Construction Grammar Approach to Argument Structure. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.
HOPPER, P. Emergent grammar. Berkeley Linguistics Society, v. 13, 1987. p. 139-157.
JUCÁ FILHO, C. O fator psicológico na evolução sintática. Rio de Janeiro: FGV, 1933.
KURYLOWICZ, J. The evolution of grammatical categories. Munich, 1975 [1965].
LIMA-HERNANDES, M. C. O processamento das funções de base comparativa: proposta de análise funcional. In: Seminários de Linguística Funcional. São Paulo: USP, 2006.
NEVES, M.H. M.; HATTNHER, M. M. D. As construções comparativas. In: ABAURRE, M. M.; RODRIGUES, A. C. S. Gramática do Português Falado. Novos estudos descritivos. v. 8. Campinas: Editora Unicamp, 2002.
RODRIGUES, V. V. As construções comparativas em língua portuguesa. Revista do GELNE, v. 4, n. 1, p. 1-6, 26 fev. 2016.
Publicado
2020-04-30
Como Citar
VIEIRA, Caio Aguiar; SOUSA, Valéria Viana. A confluência entre o Funcionalismo e a Gramática de Construções (The confluence between Functionalism and Construction Grammar). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 18, n. 1, p. 5-24, abr. 2020. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/6048>. Acesso em: 05 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/el.v18i1.6048.