Neonálise e analogização na formação de marcadores discursivos do português (Neoanalysis and analogization in the formation of discursive markers of Portuguese)

Resumo

Descrição e análise de contextos de uso, nos termos de Diewald e Smirnova (2012), que levaram à convencionalização da construção marcadora discursiva formada por elemento verbal de sentido visual e elemento afixoide opcional, codificada no esquema [Vv(X)af]MD. Com base na LFCU, nos termos de Traugott e Trousdale (2013), Bybee (2010; 2015), Hilpert (2014), entre outros, em viés qualitativo, a referida construção é abordada em termos hierárquicos, a partir do cline esquema > subesquema > microconstrução. Para tanto, selecionam-se três types específicos: olha, olha lá e olha só, representantes, respectivamente, dos subesquemas [Vv]MD, [VvLocaf]MD e [VvFocaf]MD. Como resultado de nossa investigação, constatamos que neonálises de distinta natureza, tanto micropassos quanto analogização, concorreram, na trajetória da língua, para a configuração da rede desse esquema, ampliando o paradigma dos MDs do português.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mariangela Rios de Oliveira é doutora em Letras Vernáculas pela UFRJ, com pós-doutorado na Universidade Aberta (Lisboa). Professora titular de Língua Portuguesa da UFF, docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da UFF. Professora visitante do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UERJ, a partir de 2019. Pesquisadora do CNPq e Cientista do Nosso Estado pela Faperj. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: língua portuguesa, funcionalismo, construcionalização lexical e gramatical, morfossintaxe e advérbios.

##submission.authorWithAffiliation##

Vania Rosana Mattos Sambrana é mestre em Estudos de Linguagem. É Doutoranda (2017-2021) do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal Fluminense - UFF. Docente efetivo da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro, atuando em ensino de língua portuguesa (nível fundamental e médio). Membro do Grupo de Estudos Discurso & Gramática (D&G/UFF/RJ). Área de interesse: a constituição da morfossintaxe do português em correlação com fatores discursivo-pragmáticos, na perspectiva da Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU).   

Referências

BARRETO, Therezinha Mª. Mello. Gramaticalização das conjunções na história do português. Orientadora: Profª. Drª. Rosa Virgínia Mattos e Silva. 1999. 508 f. Tese. (Doutorado em Letras e Linguística) Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1999.
BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37ª Edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.
BOOIJ, G. Construction morphology. Oxford: Oxford University Press, 2010.
BOOIJ, G. Morphology in construction grammar. In: HOFFMANN, T.; TROUSDALE, G. (eds.). The oxford handbook of construction grammar. Oxford: Oxford University Press, 2013, p. 255-273.
BYBEE, J. Mechanisms of change in grammaticization: the role of frequency. In: JOSEPH, B.; JANDA, R. (orgs.). A handbook of historical linguistics. Blackweel, 2003.
BYBEE, J. Language, usage and cognition. New York: Cambridge University Press, 2010.
BYBEE, J. Language change. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.
CROFT, W. Radical construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.
DIEWALD, G. A model for relevant types of contexts in grammaticalization. In: WISHER, I.; DIEWALD, G. (eds). New reflections on grammaticalization. Amsterdan: John Benjamins, 2002, p. 103-120.
DIEWALD, G. Contexts types in grammaticalization as constructions. In: Special volume 1: Constructions all over – case studies and theoretical implications. Dusseldorf, 2006. Disponível em: www.constructions-online.de:009-4-6860. Acesso em: 10 de mar. 2019.
DIEWALD, G; SMIRNOVA, E. “Paradigmatic integration”: the fourth stage in an expanded grammaticalization scenario. In: DAVIDSE, K. et al (eds). Grammaticalization and language change – new reflections. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2012, p. 111-131.
FISCHER, O. Grammaticalization as analogically driven change? Vienna English Working Papers, vol. 18, n. 2, p. 3-23. 2009.
FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO E. B.; SILVA, J. R. Linguística funcional centrada no uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZARIO, M. M; FURTADO DA CUNHA, M. A. (org). Linguística centrada no uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad/Faperj, 2013. p. 13-39.
GOLDBERG, A. Constructions: a construction grammar approach to argument structure. Chicago: University of Chicago Press, 1995.
GOLDBERG, A. Constructions at work: the nature of generalization in language. Oxford: Oxford University Press, 2006.
HEINE, B.; KALTENBÖCK, G.; KUTEVA, T. On the rise of discourse markers. Researchgate. Preprint, june, 2019, DOI: 10.13140/RG.2.2.31703.73129. Disponível em: htps://www.researchgate.net/publication/333783353. Acesso em: 27 de jun. 2019.
HILPERT, M. Construction grammar and its application to English. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2014.
HIMMELMANN, N. P. Lexicalization and grammaticalization: opposite or orthogonal? In: BISANG, HIMMELMANN & WIEMER (eds.). What makes grammaticalization? A look from its fringes and its components. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004, p.21-42.
HOPPER, P. J. Emergent grammar. In: ASKE, J. et al. Berkeley linguistics society 13: General session and parasession on grammar and cognition. Berkeley, CA: BLS, 1987, p. 139-157.
ILARI, R. Sobre os advérbios focalizadores. In: _____. Gramática do português falado. 4. ed. Campinas, São Paulo: UNICAMP, v. II, 2002, p. 181-198.
KURYLOWICZ, J. L’Évolution des Catégories Grammaticales. In: _____. Problèmes du Langage. Paris: Gallimard, 1965, p.55-71.
MEILLET, A. Linguistique historique et linguistique générale. Paris: Edouard Champion, 1948 [1912].
SAMBRANA, Vania Rosana Mattos. Marcadores discursivos formados pelos verbos perceptivo-visuais olhar e ver: uma abordagem construcional. Orientadora: Profª. Drª. Mariangela Rios de Oliveira. 2017. 155 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagem. Área de Concentração: Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.
TEIXEIRA, A. C. M. A construção verbal marcadora discursiva VLocMD: uma análise funcional centrada no uso. 297fls. Tese (Doutorado em Estudos de Linguagem) Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.
TRAUGOTT, E. C. Rethinking the role of invited inferencing in change from the perspective of interactional texts. In: EHMER, O.; MALTE, R. Interaction and language change. New York: Mouton of Gruyter, 2018. p. 19-34.
TRAUGOTT, E; DASHER, R. Regularity in semantic change. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.
TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Constructionalization and constructional changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.
Publicado
2020-04-30
Como Citar
OLIVEIRA, Mariangela Rios de; SAMBRANA, Vania Rosana Mattos. Neonálise e analogização na formação de marcadores discursivos do português (Neoanalysis and analogization in the formation of discursive markers of Portuguese). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 18, n. 1, p. 25-44, abr. 2020. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/6126>. Acesso em: 09 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/el.v18i1.6126.