Intertítulos de livros didáticos de português: concepções de língua, escrita e ensino de escrita (Portuguese language textbooks intertitles: conceptions of language, writing and teaching writing)

concepções de língua, escrita e ensino de escrita

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v18i2.6737

Palavras-chave:

Ensino de escrita. Livro didático. Intertítulos.

Resumo

Investigo oito livros didáticos de português, publicados entre 1930 e 2002. O arcabouço teórico da pesquisa se fundamenta numa articulação entre Linguística aplicada numa perspectiva discursiva e Antropologia pragmática da escrita, enfatizando o conceito de ato de escrita. O objetivo do trabalho consiste em determinar concepções de língua, escrita e ensino de escrita nos livros investigados a partir da descrição e análise dos seus intertítulos. Os resultados obtidos mostram que os intertítulos ocupam um papel decisivo na performatização das mencionadas concepções, sendo responsáveis por diferentes identidades gráficas em função da constituição de marcos gráfico-editoriais, como as seções exclusivas para o ensino de escrita a partir da década de 1970.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristian Henrique Imbruniz, Universidade de São Paulo (USP/Brasil)

Cristian Henrique Imbruniz é doutorando no Programa de Pós-graduação em Filologia de Língua Portuguesa, da Universidade de São Paulo.

 

Referências

BATISTA, A. et al. Livros escolares de leitura: uma morfologia (1866-1956). Rev. Bras. Educ., n. 20, p. 27-47, 2002. Disponível em: https://bit.ly/2WRB1DR. Acesso em 21 mai. 2020.
BATISTA, A. A. Um objeto variável e instável: textos, impressos e livros didáticos. In: ABREU, M. (Org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas: Mercado das Letras/Fapesp/ALB, 1999. p. 529-576.
BRAIT, B. Olhar e ler: verbo-visualidade em perspectiva dialógica. Bakhtiniana, v. 8, n. 2, p. 43-66, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3cMQiv4. Acesso 21 mai. 2020.
CHOPPIN, A. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Tradução M. Cappello. Educ. e pesq., São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, 2004 [2002]. Disponível em: https://bit.ly/36hrzfU. Acesso em 21 mai. 2020.
CORRÊA, M. A escrita na formação do professor e pesquisador [Entrevista concedida a] Adriana Fischer. Scripta, v. 23, n. 48, p. 177-185, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3cMKt0J. Acesso em 21 mai. 2020.
CORRÊA, M. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
COSTA, A. Quarto livro de português. São Paulo: Editora do Brasil, 1956 [1950].
CRETELA, J. Português para o ginásio. São Paulo: Nacional, 1948 [1947]
DASSIE, B. Paratextos editoriais e História da Educação Matemática: uma leitura de livros didáticos. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 1, 2011, Covilhã. Actas... Lisboa: UIED, 2011. p.188-196. Disponível em https://bit.ly/2XlyUat. Acesso em 21 mai. 2020.
DAUNAY, B. De l’imbécile en didactique du français : le point de vue de l'élève dans l’activité de recherche. In: DAUNAY, B.; DUFAYS, J-L. (dir.). Didactique du français : du côté des élèves. Comprendre les discours et les pratiques des apprenants. Louvain-la-Neuve: de Boeck, 2014. p. 175-185.
DAVID, B.; MARY, H. Local literacies: reading and writing in one community. Londres: Routledge, 1998.
FARACO, C.; MOURA, F. Linguagem nova. São Paulo: Ática, 1995 [1993].
FRAENKEL, B. Actes écrits, actes oraux : la performativité à l’épreuve de l’écriture. Études de communication, n. 29, p. 69-93, 2006. Disponível em: https://bit.ly/2LJyR2N. Acesso em 21 mai. 2020.
FRAENKEL, B. La notion d’événement d’écriture. Communication & langages, v. 137, n. 3, p. 35-52, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2LJbHtk. Acesso em 21 mai. 2020.
FREITAS, P. O nosso idioma. São Paulo: Nacional, 1938 [1938].
GENETTE, G. Paratextos editoriais. Tradução A. Faleiros. Cotia: Ateliê, 2009 [1987].
GERALDI, J. Prática de produção de textos na escola. Trab. Ling. Aplic., n. 7, p. 23-29, 1986. Disponível em: https://bit.ly/2zhMbbX. Acesso em 21 mai. 2020.
IMBERT, C. Œures ou documents ? Un siècle d’exposition du graphisme dans les musées d’art moderne de Paris, New York et Amsterdam (1985-1995). 2017 – Tese (Doutorado em Art des images et art contemporain). École Doctorale Sciences et Technologies des Arts, Université Paris 8, Paris, 2017.
IMBRUNIZ, C. Elementos para uma memória discursiva do ensino de escrita: livros escolares de português (1930-2002). 2019 – Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. Disponível em: https://bit.ly/2Zo9dsg. Acesso em 21 mai. 2020.
IMBRUNIZ, C. Livros escolares e ensino de escrita: selecionando material entre a linguística e a histórica. Investigações, v. 31, n. 2, 2018, p. 429-457. Disponível em: https://bit.ly/2Xc5ZFC. Acesso em 21 mai. 2020.
OUVRY-VIAL, B. L’acte éditorial: vers une théorie du geste. Communication & langages, n. 154, p. 59-74. Disponível em: https://bit.ly/3bSWoIW. Acesso em 21. mai. 2020
PÊCHEUX, M. Abertura do colóquio. Tradução D. Masmann. In: CONEIN, B. et al. (orgs.). Materialidades discursivas. Campinas: Unicamp: 2016 [1980]. p. 23-29.
PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso. In: GADET, F.; HAK, T. (orgs.). Por uma análise automática do discurso. Tradução E. Orlandi. Campinas: Unicamp, 2010 [1969], p. 59-158.
PÊCHEUX, M. Discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução E. Orlandi. Campinas: Pontes, 2015 [1983].
PIETRI, E. A constituição do discurso da mudança do ensino de língua materna no Brasil. Sínteses, v. 9, p. 329-341, 2004. Disponível em: https://bit.ly/2XfdKe4. Acesso em 21 mai. 2020.
PRATES, M. Reflexão e ação em língua portuguesa: 8ª série. São Paulo: Editora do Brasil, s/d [1984].
POSSENTI, S. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: ABL/Mercado das Letras, 1996.
SARGENTIM, H. Atividades de comunicação em língua portuguesa. São Paulo: IBEP, 1975 [1974].
SARMENTO, L. Português: leitura, produção, gramática. São Paulo: Moderna, 2002 [2002].
SOARES, M. Português através de textos: 4ª série. Belo Horizonte: Bernardo Álvares, 1971 [1969].
VEYNE, P. Comment on écrit l’histoire. Paris: Seuil, 1971.

Downloads

Publicado

2020-08-03

Como Citar

Imbruniz, C. H. (2020). Intertítulos de livros didáticos de português: concepções de língua, escrita e ensino de escrita (Portuguese language textbooks intertitles: conceptions of language, writing and teaching writing): concepções de língua, escrita e ensino de escrita. Estudos Da Língua(gem), 18(2), 97-116. https://doi.org/10.22481/el.v18i2.6737