A “Hipótese Crioulista” de Mattoso para o Português do Brasil (The “Creolist Hypothesis” by Mattoso about the Brazilian Portuguese)

  • Tania Alkmim Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/Brasil)

Resumo

Neste trabalho, discute-se A “hipótese crioulista” de Mattoso Câmara. Tenta-se mostrar que tal hipótese representa uma contribuição inovadora para o debate da questão do português brasileiro e que, mesmo tendo permanecido à margem, tem seu valor inegável.
PALAVRAS-CHAVE: Mattoso Câmara. Hipótese crioulista. Português brasileiro.


ABSTRACT
This work discusses the “creolist hypothesis” by Matoso. It tries to show that this hypothesis represents an innovative contribution to the discussion on Brazilian Portuguese and, despite its stay aside, has a undeniable value.
KEYWORDS: Mattoso Câmara. Creolist hypothesi. Brazilian Portuguese.


 

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Tania Alkmim é doutora em Lingüística pela Universite de Paris V (Rene Descartes), U.P. V, França. Realizou estágio pós-doutoral no Centre National de la Recherche Scientifique, CNRS, França. Professora da graduação e do Programa de Pós-Graduação em Lingüística, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Líder do grupo de pesquisa A linguagem como fenômeno social: usos e práticas (Unicamp/CNPq). Membro dos grupos de pesquisa História do Português de São Paulo (Usp/CNPq) e Projeto Integrado em Neurolingüística: elaboração de banco de dados e de protocolos de avaliação (Unicamp/CNPq). Autora de vários artigos, entre os quais: Língua e discriminação; Português de negros e escravos: atitudes e preconceitos históricos; Linguagem de escravos: em busca de registros históricos; Coelho, Schuchardt e Hesseling: encontros e desencontros entre pioneiros dos estudos crioulos; Linguagem de escravos: estudo de um caso de representação; O português no oriente; A Língua como critério de identidade social - os portugueses de ziguinchor; Alguns aspectos do sistema verbal do crioulo português de ziguinchor. Autora do livro Falares crioulos. Línguas em contato. Co-organizadora dos livros Saudades da língua, Para a História do português Brasileiro. Autora de capítulos de livros, entre os quais: Considerações sobre o campo da sociolingüística; Esteriótipos lingüísticos: negros em charges do século XIX; Sociolingüística; A variedade lingüística de negros e escravos: um tópico da história do português no Brasil.

Referências

CÂMARA, JR., J. M. Princípios de Lingüística Geral. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1967. Edição original: 1941.
CÂMARA, JR., J. M. Línguas européias de ultramar: o português do Brasil. In: UCHÔA, C. E. F. (Org.) Dispersos de J. Mattoso Câmara Jr. Rio de Janeiro: FGV, 1975. Edição original: 1963.
CÂMARA, JR., J. M. Ele como um acusativo no português do Brasil. In: UCHÔA, C. E. F. (Org.) Dispersos de J. Mattoso Câmara Jr. Rio de Janeiro: FGV, 1975 [1957].
HALL JR., R. A. Pidgin English and linguistic change. Lingua, n. 3, p. 138-146, 1952.
JESPERSEN, O. Language, its Nature, Development and Origin. Londres: Allen and Unwin, 1928.
MEILLET, A. Linguistique Historique et Générale. Paris: Champion, 1975. Edição original: 1928.
SAPIR, E. A língua como produto histórico: a deriva. A linguagem. Rio, de Janeiro: Acadêmica, 1971. Edição original: 1921.
SCHUCHARDT, H. Pidgin and Creole languages. Selected essays by Hugo Schuchardt. London,: Cambridge University Press, 1980.
WEINREICH, U. Language in Contact. Mouton: The Hague, 1974. Edição original, 1953.
Publicado
2005-12-30
Como Citar
ALKMIM, Tania. A “Hipótese Crioulista” de Mattoso para o Português do Brasil (The “Creolist Hypothesis” by Mattoso about the Brazilian Portuguese). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 2, n. 1, p. 105-114, dez. 2005. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/998>. Acesso em: 14 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/el.v2i1.998.