A FELICIDADE COMO FIM ÚLTIMO DA MORALIDADE NUMA PERSPECTIVA KANTIANA

  • MARCELO MEIRA ALVES

Resumo

No presente trabalho, serão discutidas as concepções do filósofo Immanuel Kant acerca da moralidade do homem como pressuposto de uma vida feliz e em comunidade, baseando-se na liberdade interior e no livre-arbítrio, a partir de sua obra Religião nos limites da simples razão. Entretanto, esta não é a única obra em que Kant trata sobre a religião, a liberdade e outras questões existenciais. Em Religião nos limites da simples razão, o filósofo desenvolve considerações importantes a respeito da religião, relacionando-a com a razão e com a consciência de uma moral divina.

Como Citar
MEIRA ALVES, MARCELO. A FELICIDADE COMO FIM ÚLTIMO DA MORALIDADE NUMA PERSPECTIVA KANTIANA. Filosofando: Revista Eletrônica de Filosofia da UESB, [S.l.], v. 3, n. 2, dez. 2017. ISSN 2317-3785. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/filosofando/article/view/2187>. Acesso em: 19 out. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/filosofando.v3i2.2187.