Tudo o que Era Sólido se Desmancha no “Eu”

  • Fernando Rocha

Resumo


 Neste artigo, busco salientar as relações que se estabelecem entre construção da identidade e produção material a partir do romance São Bernardo, de Graciliano Ramos. Tido como um romance de crítica ao modo capitalista de produção econômica, São Bernardo  também aponta, no entanto, para as diferentes transposições que se realizam entre identidade e produção material. O enfoque deste artigo recai, particularmente, sobre as questões do nome e dos legados, das transferências entre sujeitos e objetos, da alienação resultante da produção e do processo de citações que permeia a construção identitária.



 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Como Citar
ROCHA, Fernando. Tudo o que Era Sólido se Desmancha no “Eu”. Floema: Caderno de Teoria e História Literária, [S.l.], n. 11, out. 2017. ISSN 2177-3629. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/floema/article/view/1856>. Acesso em: 20 ago. 2018.
Seção
Dossiê Graciliano Ramos