Memória, Ficção e Imaginação na Escrita da Cadeia

  • Daniela Birman

Resumo

 Neste artigo, iremos explorar os vínculos da ficção e da imaginação com as memórias da cadeia de Graciliano Ramos. Para isto, partiremos de um antigo testemunho manuscrito do autor, supostamente datado de 1937, no qual Graciliano reflete sobre “certas coincidências” envolvendo a ideia da prisão: obsessão do personagem Luís da Silva que acaba por se concretizar em sua própria vida. Ao explorarmos os citados vínculos, nos apoiaremos ainda em um segundo manuscrito do escritor, referente ao infantil A terra dos meninos pelados.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Como Citar
BIRMAN, Daniela. Memória, Ficção e Imaginação na Escrita da Cadeia. Floema: Caderno de Teoria e História Literária, [S.l.], n. 11, out. 2017. ISSN 2177-3629. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/floema/article/view/1860>. Acesso em: 16 out. 2018.
Seção
Dossiê Graciliano Ramos