OLHOS DE ELIZABETH BISHOP E ANA CRISTINA CÉSAR: PAISAGENS EM DESCONSTRUÇÃO

  • Evelyn Caroline Mello Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • Maria Clara Paro Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O presente artigo pretende verificar à luz da teoria da desconstrução proposta por Jacques Derrida em suas obras Gramatologia (1973) e Escritura e Diferença (1967) como o eu lírico das poesias de Elizabeth Bishop e Ana Cristina César interagem com o espaço poético de seus textos, respectivamente o Brasil e a Europa. Parte-se, principalmente, das possíveis relações de um olhar estrangeiro que procura decifrar as novidades da paisagem, em Bishop e, posteriormente, na poesia de Ana Cristina César.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestra em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) Júlio de Mesquita Filho. Doutoranda em Estudos Literários pela Unesp.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo (Usp). É atualmente Professora junto ao Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp.

Publicado
2018-03-08
Como Citar
MELLO, Evelyn Caroline; PARO, Maria Clara. OLHOS DE ELIZABETH BISHOP E ANA CRISTINA CÉSAR: PAISAGENS EM DESCONSTRUÇÃO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 7, n. 2, mar. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/2961>. Acesso em: 19 out. 2019.