A FORMAÇÃO DA SOCIEDADE CACAUEIRA E DO BRASIL MODERNO: UMA LEITURA DE TERRAS DO SEM FIM E GABRIELA, CRAVO E CANELA DE JORGE AMADO

  • Juliane Vargas Welter Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Resumo

A partir da leitura de Terras do sem fim (1943) e Gabriela, cravo e canela (1958) de Jorge Amado, têm-se como hipóteses a sua escrita do Brasil, ou seja, a leitura cifrada feita pelo romancista através das problematizações (e soluções) da formação da sociedade brasileira entre o início do século XX e os anos 50. A outra hipótese diz respeito à continuidade do ciclo de cacau nos romances, ou seja, à continuidade de Terras do Sem Fim em Gabriela, cravo e canela.  Para tanto, partimos da leitura dos romances, da discussão da posição que o narrador, em terceira pessoa, ocupa e da estrutura romanesca em direção às discussões dos processos de modernização da região cacaueira e do Brasil.


 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 
Publicado
2018-04-05
Como Citar
WELTER, Juliane Vargas. A FORMAÇÃO DA SOCIEDADE CACAUEIRA E DO BRASIL MODERNO: UMA LEITURA DE TERRAS DO SEM FIM E GABRIELA, CRAVO E CANELA DE JORGE AMADO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 4, n. 1, abr. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/3446>. Acesso em: 16 out. 2019.
Seção
VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados