WILLIAM BLAKE E OS PEREGRINOS DOS CANTERBURY TALES DE CHAUCER: RELEITURAS VISUAIS E TEXTUAIS

  • Enéias Farias Tavares Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Resumo

O objetivo deste artigo é estudar o texto e a pintura/ilustração de William Blake dedicada às personagens de Chaucer no cenário artístico do início do século 19. Para tanto, discutiremos primeiramente a produção da obra de Blake em contraste com a pintura de Thomas Stothard. A seguir, centraremos a análise nos estudos críticos que a obra recebeu nas últimas décadas, interpretações que dizem respeito às referências míticas, literárias e históricas presentes na pintura. Por fim, proporemos uma interpretação da pintura/ilustração de Blake em comparação com os comentários sobre a tela no Descriptive Catalogue de 1809. Como apêndice a esse artigo, incluímos a tradução do texto de Blake e também uma identificação das trinta personagens da sua tela, Sir Geoffrey Chaucer e os Vinte e Nove Peregrinos a Caminho de Canturbery.


 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor de Literatura Greco-Latina no Departamento de Letras Clássicas e Linguística do curso de Letras da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

 
Publicado
2018-04-06
Como Citar
TAVARES, Enéias Farias. WILLIAM BLAKE E OS PEREGRINOS DOS CANTERBURY TALES DE CHAUCER: RELEITURAS VISUAIS E TEXTUAIS. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 3, n. 2, abr. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/3485>. Acesso em: 02 jul. 2020.
Seção
VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados