AS FAZENDAS DISTÓPICAS DE GEORGE ORWELL E CHICO BUARQUE: TRANSFIGURAÇÕES FICCIONAIS DO AUTORITARISMO

  • Ramiro Giroldo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Rebeca Cacho de Souza Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Resumo

O texto tem como objetivo discutir de que forma as noções de utopia e distopia podem ser ficcionalmente transfiguradas em diferentes contextos, bem como as mudanças dessas noções de acordo com cada tempo e lugar. Seus objetos são duas obras de momentos e lugares diferentes: A Revolução dos Bichos, de George Orwell (1945), e Fazenda Modelo, de Chico Buarque (1976). Nelas, respectivamente, é possível perceber a alusão ao período da Revolução Russa e ao período ditatorial no Brasil. A análise busca discutir a relação intertextual, abordando: os títulos semelhantes, os ambientes ficcionais de exploração animal e a crítica social que se encontra no cerne da discussão de ambas as obras em seus quadros imaginários utópicos/distópicos. Fornecerão embasamento Ernst Bloch (2005), acerca da utopia, Eric Hobsbawn (1995), sobre a História, e Mary Elizabeth Ginway (2005), no que cabe à leitura comparada das obras em pauta.


 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (Usp). Professor Adjunto "A" da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

 
##submission.authorWithAffiliation##

Mestranda em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

 
Publicado
2018-08-25
Como Citar
GIROLDO, Ramiro; CACHO DE SOUZA, Rebeca. AS FAZENDAS DISTÓPICAS DE GEORGE ORWELL E CHICO BUARQUE: TRANSFIGURAÇÕES FICCIONAIS DO AUTORITARISMO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 10, n. 1, ago. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/3851>. Acesso em: 23 set. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v10i1.3851.