UMA LITERATURA TRAJADA DE AZEVICHE

  • Maria Dolores Sosin Rodriguez Universidade Federal da Bahia (Ufba)

Resumo

O presente ensaio busca refletir acerca das determinações que configuram a literatura brasileira e como a produção negra reserva, em seu bojo e fundamentação, questões ignoradas pela teoria da literatura. Pensando em como a figura do cânone oblitera a presença dessa produção, mas também organiza um imaginário, a partir de operadores da representação literária, que produz violência e endossa o processo de necropolítica (MBEMBE, 2018), o ensaio provoca, a partir de algumas leituras de produções que não pertencem ao puro código linguístico, de autoria de Ricardo Aleixo e Dete Lima, o deslocamento sobre as definições sobre do próprio fazer literário.


 
 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Teorias e Críticas da Literatura e da Cultura no Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Publicado
2019-02-05
Como Citar
RODRIGUEZ, Maria Dolores Sosin. UMA LITERATURA TRAJADA DE AZEVICHE. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 10, n. 2, fev. 2019. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/4566>. Acesso em: 24 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v2i10.4566.
Seção
VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados