A LINGUÍSTICA COGNITIVA NA SALA DE AULA: ENCAMI-NHAMENTOS POSSÍVEIS

  • Dedilene Alves de Jesus Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg)

Resumo

O artigo objetiva apresentar os pressupostos da Linguística Cognitiva como ferramentas viáveis para a análise de práticas pedagógicas em sala de aula. Partindo das iniciativas de Alves (2005) e  Gerhardt (2006), defendemos que a análise através de conceitos cognitivistas como frame, cena de atenção conjunta, perspectivação conceptual, MCI (modelo cognitivo idealizado), espaços mentais e categorização seja uma contribuição para a melhoria das práticas docentes e da compreensão dos processos de ensino e de aprendizagem nas diferentes disciplinas perpassadas pelas linguagens. Nesse viés, apresentamos também algumas perspectivas para os estudos da Linguística Cognitiva como base para análise de práticas pedagógicas e também para a produção de protocolos e materiais didáticos voltados para o desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita, fala e escuta.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora  da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg).

Publicado
2019-08-25
Como Citar
JESUS, Dedilene Alves de. A LINGUÍSTICA COGNITIVA NA SALA DE AULA: ENCAMI-NHAMENTOS POSSÍVEIS. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 11, n. 1, ago. 2019. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5010>. Acesso em: 13 nov. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v11i1.5010.
Seção
VERTENTES & INTERFACES II: Estudos Linguísticos e Aplicados