NA ERA DA MULTIPLICIDADE: FRAGMENTAÇÃO, INTENSIDADE E VIOLÊNCIA NO ROMANCE AS FANTASIAS ELETIVAS

  • Rondinele Aparecido Ribeiro Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
  • Francisco Cláudio Alves Marques Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Resumo

Os textos contemporâneos podem ser apresentados sob o rótulo da rapidez, da concisão e da brevidade. Dessa forma, predomina uma multiplicidade de tendências e de formas que não necessariamente precisam se sobrepor uma a outra, mas sim conviverem de maneira harmônica. A partir dessa considerações iniciais, este artigo se propõe a analisar o romance As Fantasias Eletivas. Para tanto, buscamos estudar como ocorre a fragmentação, a intensidade e a violência nessa narrativa. Como subsídios teóricos, foram utilizados os trabalhos de Antonio Candido (1987; 2003), Beatriz Resende (2008; 2015), Tânia Pellegrini ( 2008), Ana Paula Franco Nobile Brandileone (2013), dentre outros.
 


 


 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo (Usp). Professor de Letras da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Publicado
2019-08-25
Como Citar
RIBEIRO, Rondinele Aparecido; MARQUES, Francisco Cláudio Alves. NA ERA DA MULTIPLICIDADE: FRAGMENTAÇÃO, INTENSIDADE E VIOLÊNCIA NO ROMANCE AS FANTASIAS ELETIVAS. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 11, n. 1, ago. 2019. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5014>. Acesso em: 16 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v11i1.5014.