LIRISMO E MELANCOLIA: UMA ANÁLISE DE DOIS POEMAS DE RUY ESPINHEIRA FILHO

  • Pauliany Carla Martins Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

Este artigo, de cunho ensaístico, tem como objetivo principal analisar dois poemas de Ruy Espinheira Filho, “Noite de maio” e “Flor de junho”. Os poemas integram o livro Elegia de agosto e outros poemas, publicado em 2005, e ilustram algumas características que são comumente observadas na poesia desse autor, tais como o tratamento melancólico e nostálgico dado à passagem do tempo. Dentre as principais características da obra de Ruy Espinheira Filho, escolhemos ler os dois poemas sob a ótica do lirismo e da melancolia tendo como base as teorias de Hegel (1993) e de Emil Staiger (1993). Propomos observar o modo como o poeta configura uma subjetividade dotada de melancolia e discutir como essa subjetividade contribui para a configuração do lirismo nesses dois poemas.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professora Assistente Substituta na Universidade Federal de Goiás. Doutoranda e Mestra em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Bolsista CNPq.

Publicado
2019-08-25
Como Citar
MARTINS, Pauliany Carla. LIRISMO E MELANCOLIA: UMA ANÁLISE DE DOIS POEMAS DE RUY ESPINHEIRA FILHO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 11, n. 1, ago. 2019. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5083>. Acesso em: 16 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v11i1.5083.