AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA SÍNDROME DE DOWN: A IMPORTÂNCIA DOS GÊNEROS TEXTUAIS

  • Vivian Meira Universidade do Estado da Bahia (Uneb)
  • Cláudia Madalena Feistauer Universidade do Estado da Bahia (Uneb)

Resumo

Este texto apresenta uma pesquisa sobre a importância de utilização de gêneros textuais variados no processo de letramento de crianças com Síndrome de Down. A pesquisa foi realizada na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), na cidade de Vitória da Conquista – BA. Tomamos como base o aporte teórico da Psicolinguística e práticas de letramento com utilização de gêneros textuais, considerando os níveis de participação dos atores do contexto educacional e familiar. Além dos dados obtidos por meio do questionários, foram feitas observações de aulas e análise do material empregado no contexto escolar. Os resultados indicam que alunos com Síndrome de Down alcançam níveis satisfatórios de letramento quando na sala de aula são orientados por docentes que usam material diverso e tiveram contato precocemente com materiais escritos no núcleo familiar.


PALAVRAS-CHAVE: Gêneros textuais; letramento; psicolinguística; síndrome de down.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Pós-Doutorado em Linguística pela University of Cambridge, Reino Unido e pela Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro. Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Puc-RG). Professora Adjunta da área de Linguística da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

Publicado
2020-01-27
Como Citar
MEIRA, Vivian; FEISTAUER, Cláudia Madalena. AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA SÍNDROME DE DOWN: A IMPORTÂNCIA DOS GÊNEROS TEXTUAIS. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 11, n. 2, jan. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5454>. Acesso em: 04 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v11i2.5454.