FORMAÇÃO DOCENTE DE LÍNGUA PORTUGUESA: UM TEXTO EM ANÁLISE DISCURSIVA

Autores

  • Tainá Almeida Universidade Federal da Bahia (Ufba)
  • Lúcia Gracia Ferreira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
  • Lucimar Gracia Ferreira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.5770

Palavras-chave:

Discurso; Formação docente; Língua Portuguesa

Resumo

Este artigo foi realizado a partir da perspectiva da Análise do Discurso Bakhtiniana (BAKHTIN, 2002) e da Análise do Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 1996, 2001) em diálogo com autores da área de educação. Trata-se de uma análise discursiva do artigo de opinião de Marcos Bagno intitulado “A catástrofe dos cursos de Letras”, onde discutimos o contexto de produção discursiva; o discurso, suas escolhas lexicais e efeitos de sentido; e a formação do professor de Língua Portuguesa. Buscamos analisar o discurso do autor do texto em questão a partir das duras críticas realizadas por ele à formação de professores no curso de Letras, bem como refletir acerca da atual situação da formação docente e ensino de Língua Portuguesa no Brasil. O texto analisado alcança o seu objetivo de chamar a atenção do leitor-alvo e suscita reflexões a partir dos ditos e não-ditos nele presentes quando analisados a partir do estatuto do explícito e implícito (DUCROT, 1984).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tainá Almeida, Universidade Federal da Bahia (Ufba)

Doutoranda em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Mestre em Letras: Cultura, Educação e Linguagens pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

 

Lúcia Gracia Ferreira, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora Adjunta da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)/Centro de Formação de Professores. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Realizou estágio de pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Realizou estágio de pós-doutorado em Letras pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Líder dos Grupos de Pesquisa/CNPq: Docência, Currículo e Formação (DOCFORM) e Grupo de Pesquisa e Estudos Pedagógicos (GPEP).

Lucimar Gracia Ferreira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Mestre em Educação pela Universidade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).  Integrante do Grupo de Pesquisa e Estudos Pedagógicos (GPEP).

Referências

1. BAGNO, Marcos. A catástrofe dos cursos de Letras. Publicado originalmente na Revista Caros Amigos, 2008. Disponível em:<http://marcosbagno.com.br/site/?page_id=464>. Acesso em: 20 de out. 2018.
2. BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 9ª ed. São Paulo: Hucitec Annablume, 2002.
3. BRANDÃO, Helena H. Analisando o discurso. In: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, 2005. Disponível em: < http://www.fflch.usp. br/dlcv/lport/pdf/brand001.pdf > Acesso em: 05 de Abr. de 2015.
4. BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES no fomento a programas de formação inicial e continuada, e dá outras providências. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Decreto-6755-2009.pdf>. Acesso em: 31 de out. 2019.
5. CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e linguística. 11. ed., São Paulo: Scipione, 2009.
6. DUCROT, Oswald. Referente. ENCICLOPÉDIA Einaudi: Linguagem e Enunciação. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1984, v.2, p. 418-438.
7. FAIRCLOUGH, Norman. Language and Power. New York: Longman Inc., 1996.
8. FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Ed. UNB, 2001.
9. FARIAS, Isabel Maria Sabino de et. al. Didática e docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livros, 2009.
10. FERRÉS, Joan. Televisão subliminar. Porto Alegre: Artmed, 1998.
11. FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.
12. FREIRE, Paulo Reglus Neves. Pedagogia do Oprimido. 17. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. Versão digital.
13. FREITAS, Helena Costa Lopes de. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 136-167, setembro/2002.
14. GATTI, Bernardete A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010.
15. GATTI, Bernardete A.; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília, DF: UNESCO, 2009.
16. GATTI, Bernardete A. Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga, v. 1, n.2, p. 161-171, 2016.
17. KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, L. P. da. (Org.) Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2008, p. 129-148.
18. LEPSCHY, Giulio. Léxico. ENCICLOPÉDIA Einaudi: Linguagem e Enunciação. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1984, v. 2, p. 156-178.
19. MIZUKAMI, Maria da Graça N. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L. S. Shulman. Educação (Santa Maria), Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 33-49, 2004.
20. NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
21. ORLANDI, Eni Puccinelli. Educação em direitos humanos: um discurso. In: SILVEIRA, Rosa Maria et. al. (Org.) Educação em Direitos Humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007. P. 295-311.
22. PIRES, Maria das Graças Porto. Os saberes e não saberes de professores de Língua Portuguesa: perspectiva formativa. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação: Universidade Federal da Bahia. Salvador-BA, 2019.
23. SILVA, David José de Andrade. Formação de professores de língua para a autonomia: o buraco é mais embaixo. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, n (52.1), p. 73-92, jan./jun. 2013.
24. ZEICHNER, Kenneth. A formação reflexiva de professores: idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

[1]
Almeida, T., Ferreira, L.G. e Ferreira, L.G. 2020. FORMAÇÃO DOCENTE DE LÍNGUA PORTUGUESA: UM TEXTO EM ANÁLISE DISCURSIVA. fólio - Revista de Letras. 12, 1 (jul. 2020). DOI:https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.5770.