USOS DE TECNOLOGIAS DIGITAIS EM PRÁTICAS DE LETRAMENTOS COM LINGUA INGLESA POR ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO

  • Cleide Beatriz Tambosi Pisetta Universidade Regional de Blumenau (Furb)
  • Isabela Vieira Barbosa Universidade Regional de Blumenau (Furb)
  • Adriana Fischer Universidade Regional de Blumenau (Furb)

Resumo

As tecnologias digitais estão diariamente na vida das pessoas e vêm colaborando com a aprendizagem de outras línguas. O objetivo deste trabalho é depreender usos de tecnologias digitais em práticas de letramentos com língua inglesa por estudantes do ensino médio. Através de capturas de tela de redes sociais e bate-papo dos jogos, bem como entrevistas semiestruturada em grupo. Foi possível analisar interações dos estudantes do ensino médio com colegas de outros países, posicionamentos acerca do uso do inglês dentro e fora da escola, bem como indícios das condições escolares do ensino de língua inglesa. As análises dos dados baseiam-se em enfoques dos Estudos dos Letramentos e das tecnologias digitais, os quais reconhecem o valor das novas tecnologias não apenas em sala de aula, mas também em práticas vernaculares. Para os sujeitos da pesquisa, a aprendizagem que ocorre dentro do ambiente virtual, especificamente nos jogos online, se caracteriza como como autônoma e interativa, enquanto as práticas em sala de aula são percebidas como as que oportunizam a aprendizagem da escrita padrão do inglês. Entretanto, apesar de os estudantes apontarem a escola e a internet como distantes, os sujeitos não negam as contribuições da escola na aprendizagem da língua inglesa, porém não estabelecem uma ligação entre as práticas vernaculares dos jogos online e das práticas dominantes escolares.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Educação na linha de Linguagens, Arte e Educação pela Universidade Regional de Blumenau (Furb). Faz parte do Grupo de Pesquisa Linguagens e Letramentos na Educação. Faz parte da equipe editorial Atos de Pesquisa - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Regional de Blumenau (PPGE/Furb) e Bolsista Furb(2016-2018).

 

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Educação pela Universidade Regional de Blumenau (Furb).  Mestre em Educação pela Furb.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora e mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc). Docente do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras (Departamento de Letras) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado) da Universidade Regional de Blumenau (Furb). Atuou como docente no Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL, Mestrado e Doutorado) da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), como Investigadora Auxiliar no Centro de Investigação em Educação (CIEd) da Universidade do Minho, em Braga, Portugal.

 

Referências

1. ALIAGAS, Marin C.; CASTELLÀ, Josep Maria.; CASSANY, Daniel. “Aunque lea poco, yo sé que soy listo. Estudio de caso sobre un adolescente que no lee literatura”, en Revista Ocnos, n. 5, 2009, p. 97-112.
2. BAILLY, Sophie. Supporting Autonomy Development in Online Learning Environments: What Knowledge and Skills do Teachers Need? In: VILLANUEVA, M.; RUIZ, M.-N.; LUZON, J. (Ed.) Genres Theory and New Literacies: Applications to Autonomous Language Learning. Cambridge: Cambridge Scholars Publishing, 2010.
3. BARTLETT, Lesley. To seem and to feel: situated identities and literacy practices. Teachers College Record, Columbia University, v. 109, n. 1, p. 51-69, january 2007.
4. BARTON, David; HAMILTON, Mary. Literacy practices. In: Barton, David. et al. Situated literacies: reading and writing in context. London: Routledge, 2000.
5. BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.
6. BENSON, Phil. Teaching and Researching Autonomy in Language Learning. Harlow: Longman/Pearson Education, 2001.
7. BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.
8. CASSANY, Daniel. “Leer y escribir literatura al margen de la ley", en CILELIJ [I Congreso Iberoamericano de Lengua y Literatura Infantil y Juvenil]. Actas y Memoria del Congreso. Madrid: Fundación SM / Ministerio de Cultura de España. 2010. p. 497-514.
9. CASSANY, Daniel; HERNÁNDEZ, Denise. ¿Internet: 1; Escuela: 0?. CPU-e, Revista de Investigación Educativa, 14, enero-junio 2012.
10. COSCARELLI, Carla Viana. A leitura em múltiplas fontes: um processo investigativo. Ens. Tecnol. R., Londrina, v. 1, n. 1, p. 67-79, jan./jun. 2017.
11. GEE, Jean Paul. Progressivism, critique, and socially situated minds. In C. Dudley Marling and C. Edelsky, eds, The fate of progressive language policies and practices. Urbana, IL: NCTE, 2001.
12. GEE, Jean Paul. Learning and games. In: The ecology of games: conencting youth, games, and learning. Foundation Series on Digital Media and Learning. Cambridge, MA: The MIT Press, 2008.
13. HEATH, Shirley Brice. What no bedtime story means: narrative skills at home and school. In: Duranti, A. (Org.) Linguistic anthropology: a reader. Oxford: Blackwel, 2001.
14. HOLEC, Henri. L'apprentissage autodirigé: une autre offre de formation. Le Français dans le Monde, juin. 1998.
15. KLEIMAN, Ângela. Professores e agentes de letramentos: identidade e posicionamento social. Revista Filologia e Linguística Portuguesa, n. 08, 2007. p. 409-424.
16. LEFFA, Vilson. Redes sociais: ensinando línguas como antigamente. In: ARAÚJO, J.; LEFFA, V. Redes sociais e ensino de línguas. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.
17. PAHL, Kate; ROWSELL, Jennifer. Literacy and Education: Understanding the New Literacy Studies in the classroom. London: Paul Chapman Publising/SAGE Publications Company. 2005.
18. PALFREY, John; GASSER, Urs. Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração dos nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.
19. PRENSKY, Marc. Digital game-based learning. St. Paul: Paragon House Edition, 2007.
20. ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola. Editorial, 2009.
21. STREET, Brian. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.
22. TORI, Romero. Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distância em ensino e aprendizagem. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.
23. VALERO, Maria José; VÁZQUEZ, Boris; CASSANY, Daniel. Desenredando la web: la lectura critica de los aprendices de lenguas extranjeras em entornos digitales. Ocnos, n. 13, p. 7-23, 2015.
24. WHITE, David; CORNU, Alison Le. Visitors and Residents: A new typology for online engagement. Revista First Monday, vol. 16. N. 09. 2011.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
PISETTA, Cleide Beatriz Tambosi; BARBOSA, Isabela Vieira; FISCHER, Adriana. USOS DE TECNOLOGIAS DIGITAIS EM PRÁTICAS DE LETRAMENTOS COM LINGUA INGLESA POR ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6160>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6160.