REPRESENTAÇÕES E PRÁTICAS EM "TERRAS DO SEM-FIM", DE JORGE AMADO: A NEGOCIAÇÃO COM O MUNDO SOCIAL

  • José Otávio Monteiro Badaró Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Marcello Moreira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Resumo

A proposta é analisar o romance Terras do sem-fim (1943), de Jorge Amado, em uma perspectiva da literatura como representação, na esteira dos estudos de Louis Marin e Roger Chartier, considerando o texto como a representação das sensibilidades de determinados homens, em dada época, da ideia que faziam de sua própria sociedade e dos significados que almejavam construir. Assim, pretendemos refutar a ideia de que a obra, circunscrita pela crítica marxista como romance proletário, seja uma homologia das estruturas sociais. A noção de representação nos permite compreender que os textos ficcionais são, na verdade, constituídos pela relação que estabelecem com outros discursos e não com a realidade empírica.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando em Memória: Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Literatura Brasileira Universidade de São Paulo (Usp). Professor pleno da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).  Vencedor do Prêmio Jabuti na categoria "crítica literária" com seu livro Critica Textualis in Caelum Revocata? Uma Proposta de Edição e Estudo da Tradição de Gregório de Matos e Guerra (Edusp, 2011). Vencedor do Grande Prêmio da Crítica da Associação Paulista de Críicos de Arte (2015) pela edição e estudo da poesia atribuída a Gregório de Matos e Guerra, em coautoria com João Adolfo Hansen.

Referências

1. AMADO, Jorge. Terras do sem-fim. São Paulo: Editora Martins, 1971.
2. BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad. Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
3. BORDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 2009.
4. BORGES, Valdeci Rezende. História e literatura: algumas considerações. In: Revista de Teoria da História, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Ano 1, Número 3, p. 94-109, junho/2010.
5. CANDIDO, Antonio. Poesia, documento e história. In: MARTINS, José de Barros (org). Jorge Amado: povo e terra. 40 anos de literatura. São Paulo, Martins, 1972.
6. CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Trad. Epraim Ferreira Alves. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.
7. CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difusão Editorial, 1998.
8. ________. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietude. Trad. Patrícia Chittoni Ramos – Porto Alegre: Ed. Universidade UFRGS, 2002.
9. ________. Defesa e ilustração da noção de representação. Fronteiras, Dourados, MS, v.13, n.24, p. 15-29, jul/dez 2011.
10. ________. A história ou a leitura do tempo. Trad. Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
11. ____. El pasado en el presente: literatura, memoria e historia. ArtCultura, Uberlândia, v. 8, n. 13, p. 7-19, jul.-dez. 2006
12. LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. São Paulo: Alfa-Omega, 1975.
13. MARIN, Louis. Poder, representación, imagen. Prismas - Revista de Historia Intelectual, vol. 13, núm. 2, jul.-dez. 2009, p. 135-153.
14. MARIN, Louis. Le portrait du roi. Paris: Éditions de Minuit, 1981.
15. REIS, João José; SILVA, Eduardo. Negociação e conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
16. SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo: Duas Cidades, 2000.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
BADARÓ SANTOS, José Otávio Monteiro; MOREIRA, Marcello. REPRESENTAÇÕES E PRÁTICAS EM "TERRAS DO SEM-FIM", DE JORGE AMADO: A NEGOCIAÇÃO COM O MUNDO SOCIAL. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6489>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6489.