DE LEITOR PARA LEITOR: RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO ENSINO DA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL NO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6496

Palavras-chave:

Educação etnico-racial; Ensino da literatura infantil e juvenil; Políticas afirmativas

Resumo

Este artigo discute relações étnico-raciais no ensino de literatura infantil e juvenil no Brasil. Com base nas leis 10.639/2003 e 11.645/2008, que determinam o ensino da História, da Arte e da Cultura Africana, Afro-brasileira e das Nações Indígenas, buscamos problematizar o projeto de pesquisa aplicada De Leitor para Leitor considerando a eficácia das leis citadas e a recepção dos livros literários africanos, afro-brasileiros e indígenas reunidos no Kit-Afro: uma política afirmativa de democratização do acesso à produção literária para a diversidade, implementada pela Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte. Nossas discussões são norteadas por estudos sobre relações etnico-raciais no Brasil (GOMES, 2012; SILVA), Análise Crítica do Discurso (VAN DIJK, 2008), Ensino da literatura (AUTOR, 2015; 2016), Interculturalidade e Pedagogias Descoloniais (HOPENHAY, 2009; WALSH, 2017). A partir de resenhas e avaliações produzidas, apontamos a tomada de consciencia linguístico-ideológica dos alunos envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Míria Gomes Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É escritora e professora da FAE-UFMG, onde integra a equipe de pesquisadores do CEALE/GPELL/FAE/UFMG e do NERA/FAE/UFMG.

Referências

1. AUSTIN, John Langshaw. How To Do Things With Words. Cambridge: Harvard University Press, 1975.
2. BAKHTIN, M . Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.
3. BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Linguísticas. São Paulo: Perspectiva, 1982.
4. FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitaria, 2012.
5. FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez e Moraes, 1979.
6. GOMES, Nilma Lino. Relações étnico raciais educação de descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, pp. 98-109, Jan/Abr 2012.
7. GONÇALVES, L. A; SILVA, P. B. Prática do racismo e formação de professores. In: DAYRELL, Juarez. Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1996.
8. GUMPERZ, John Joseph. Language and Social Identity. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.
9. HEATH, Shirley Brice. The functions and uses of literacy. In: CASTELL, Suzanne de; LUKE, Allan; EGAN, Kieran (Ed.). Literacy, Society, and Schooling: A reader. USA: Cambridge University Press, 1986. p. 15-25.
10. HOPENHAY, Martín. La educación intercultural: entre la igualdad y la diferencia. In: CANCLINI, Néstor García e MARTINELL, Alfons. (Coord.). El poder de la diversidad cultural. Pensamiento Iberoamericano. Madrid, v. 1, n. 4, may. 2009.
11. LABOV, William. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.
12. LABORNE, A. A. de P. Branquitude em foco: Análises Sobre A Construção da IdentidadeBranca de Intelectuais no Brasil. Belo Horizonte. 156 f. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.
13. MARX, Karl; ENGELS, Friederich. O manifesto Comunista. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
14. MINISTÉRIO DA EDUCAÇAO/Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília, SECAD, 2006.
15. MUNANGA, Kabengele; GOMES, Nilma Lino. O Negro no Brasil de Hoje. Global: São Paulo, 2006.
16. AUTOR., 2014a.
17. AUTOR. 2014b.
18. AUTOR. 2016.
19. AUTOR. 2017.
20. PÊCHEUX, Michel. O Discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 1983.
21. ROGERS, Rebecca. An Introduction to Critical Discourse Analysis in Education. New Jersey: Erlbaun Publishers, 2004.
22. SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.) Epistemologias do Sul. São. Paulo; Editora Cortez. 2010.
23. SEARLE, John. Intentionality, an Essay in the Philosophy of Mind. New York: Cambridge University Press, 1983.
24. SILVA, Paulo Vinícius Baptista da; ROSEMBERG, Fúlvia. Brasil: lugares de negros e brancos na mídia. In: DIJK, Teun A. Van. Racismo e discurso na América Latina. São Paulo: Contexto, 2008.
25. STREET, Brian. V. Literacy theory and practice. Cambridge University Press, 1984
26. SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Africanidades Brasileiras: esclarecendo significados e definindo procedimentos pedagógicos. Revista do Professor. Porto Alegre, 19 (73):26-30, jan./mar. 2008.
27. SOUZA, Florentina da S. Afro-decendência em Cadernos Negros e Jornal do MNU. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
28. VAN DIJK, Teun A. Racismo e discurso na América Latina. São Paulo: Contexto, 2008.
29. WALSH, Catherine. Pedagogías Decoloniales. Práticas Insurgentes de resistir, (re)existir e (re)vivir. Serie Pensamiento Decolonial. Editora Abya-Yala. Equador, 2017.
30. WITTGENSTEIN, Ludwig. Philosophical Investigations. Oxford: Basil Blackwell, 1953.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

[1]
Oliveira, M.G. 2020. DE LEITOR PARA LEITOR: RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO ENSINO DA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL NO BRASIL. fólio - Revista de Letras. 12, 1 (jul. 2020). DOI:https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6496.