A RESSIGNIFICAÇÃO DO ENSINO DE LEITURA PROPICIADA PELA FORMAÇÃO DOCENTE: UM ESTUDO DE CASO A PARTIR DE NARRATIVAS DE VIDA

  • Francisco Rogiellyson da Silva Andrade Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Priscila Sandra Ramos de Lima Universidade Federal do Ceará
  • Dannytza Serra Gomes Universidade Federal do Ceará (UFC)

Resumo

Neste artigo, que é decorrente de nossos estudos no curso de Mestrado, temos como objetivo principal analisar concepções de leitura que emergem a partir da narrativa de experiência e de práxis sobre leitura de uma professora alfabetizadora que, à época em que foi entrevistada, ainda era estudante de graduação em Pedagogia. Para isso, partimos das considerações teóricas de Kleiman (1997), Silva (1999), Koch; Elias (2012) e Braggio (1992), autores que sintetizam as principais concepções de leitura que norteiam as ações pedagógicas no âmbito do ensino dessa habilidade. Metodologicamente, estabelecemos diálogo entre a etnossociologia de Bertaux (2010) e a abordagem clínica de coleta e análise de dados proposta por Vasconcelos (2005), defendendo uma metodologia que adota como objeto de análise narrativas de vida numa perspectiva indutiva de construção de hipóteses, com base nos estudos de caso. A análise demonstra que as experiências da professora, em sua narração, foram traumáticas, pois eram somente uma maneira de avaliar a interpretação. Em decorrência disso, as discussões teórico-metodológicas acadêmicas ressignificam a maneira como a professora seleciona atividades para trabalhar a leitura. Conclui-se que é importante uma sólida formação profissional universitária inicial e continuada que possa fazer os docentes repensarem suas concepções e metodologias.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

##submission.authorWithAffiliation##

Mestra em Linguística pela Universidade Federal do Ceará e professora de Língua Inglesa na Secretaria Estadual da Educação do Ceará.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFC. Realizou estágio de pós-doutoramento em Ciências da Educação pela Universidade do Porto.

Referências

1. BERTAUX, D. Narrativas de vida: a pesquisa e seus métodos. Tradução de Zuleide Alves Cardoso Cavalcante e Denise Maria Gurgel Lavallée. São Paulo: Paulus, 2010.
2. BRAGGIO, S. L. B. Leitura e alfabetização: da concepção mecanicista à sociopsicolinguística. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.
3. BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: . Acesso em 10 de agosto de 2019.
4. _______. Parâmetros curriculares nacionais: 3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.
5. _______. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/SEF, 1998.
6. CAVALCANTE, M. M. Entrevista com Mônica Cavalcante. Entrevistadora: Associação Brasileira de Linguística - ABRALIN. Entrevistada: Mônica Magalhães Cavalcante. Campinas: ABRALIN, 01 mar. 2019. Podcast. Disponível em: https://goo.gl/CDDe9u. Acesso em: 04 mar. 2019.
7. FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Tradução de Bruno Charles Magne. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
8. _______. A criança, o professor e a leitura. Tradução de Marleine Cohen e Carlos Mendes Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.
9. _______. Modos de ser leitor: Aprendizagem e ensino da leitura no ensino fundamental. Tradução de Lúcia P. Cherem e Suzete P. Bornatto. Curitiba: Editora UFPR, 2008.
10. FRANCO, C. de P. Por uma abordagem complexa de leitura. In: TAVARES, K.; BECHER, S.; FRANCO, C. (Orgs.). Ensino de Leitura: fundamentos, práticas e reflexões para professores da era digital. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras da UFRJ, 2011, p. 26-48.
11. FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 2003.
12. _______; MACEDO, D. Alfabetização: leitura do mundo leitura da palavra. São Paulo: Paz e Terra, 1994.
13. JOSSO, M. Experiências de vida e Formação. Tradução de José Cláudio e Júlio Ferreira. 2 ed. Natal: EDUFRN, 2010.
14. KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. 5. ed. São Paulo: Pontes, 1997.
15. KOCH, I. V. G.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2012.
16. LARROSA, J. La experiencia de la lectura: estudios sobre literatura y formación. Barcelona: Laertes, 1996.
17. LEFFA, V. J. Interpretar não é compreender: um estudo preliminar sobre a interpretação de texto. In: _______; ERNST, A. (Org.). Linguagens: metodologia de ensino e pesquisa. Pelotas: Educat, 2012, p. 253-269.
18. ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2012.
19. PINEAU, G.; LE GRAND, Jean-Louis. As histórias de vida. Tradução de Carlos Eduardo Galvão Braga e Maria da Conceição Passegi. Natal: EDUFRN, 2012.
20. RIBEIRO, P. B. O discurso docente (re)velado no gênero memorial. 2008. 293 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.
21. SILVA, E. T. Concepções de leitura e suas consequências no ensino. Perspectiva, Florianópolis, v. 17, n. 31, p. 11-19, jan./jun. 1999.
22. STREET, B. V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução de Marcos Bagno. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.
23. VASCONCELOS, S. Clínica do Discurso: a arte da escuta. Fortaleza: Premius, 2005.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
ANDRADE, Francisco Rogiellyson da Silva; LIMA, Priscila Sandra Ramos de; GOMES, Dannytza Serra. A RESSIGNIFICAÇÃO DO ENSINO DE LEITURA PROPICIADA PELA FORMAÇÃO DOCENTE: UM ESTUDO DE CASO A PARTIR DE NARRATIVAS DE VIDA. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6571>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6571.