FORMAS DE PLANIFICAÇÃO DO AGIR DIDÁTICO COM GÊNEROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

  • Gustavo Henrique da Silva Lima Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape)

Resumo

O presente artigo tem como objetivo refletir sobre as formas de planificação do agir didático com gêneros por professores. Para tal, tomamos como referência a noção de agir didático de Silva (2013) e as discussões teóricas e resultados das pesquisas sobre ensino de gênero apresentadas na coletânea organizada por Schneuwly e Dolz (2004). As colaboradoras desta pesquisa foram 02 (duas) professoras da Rede Estadual de Ensino de Pernambuco. Os resultados apontam para a ocorrência de algumas formas comuns de planificação do agir didático com gênero nas práticas de ensino das duas professoras. Verificamos, ainda, uma preocupação das docentes com a sistematização dos gêneros, com ênfase, sobretudo, nas suas dimensões constitutivas, ou seja, seus aspectos temáticos e composicionais.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professor Adjunto 2 da Universidade Federal Rural de Pernambuco (Ufape).

Referências

1. ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.
2. BRONCKART, Jean-Paul.O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008.
3. BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de Linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas: Mercado de Letras, 2006.
4. _______. Atividades de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 1999.
5. BUENO, Luzia. Os gêneros jornalísticos e os livros didáticos. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2011.
6. CELANI, Maria Antonieta Alba. Questões de ética na pesquisa em Linguística Aplicada. In: Linguagem & Ensino. Vol. 8, nº 1, 2005. 21p.
7. CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 2 ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2008, 144 p.
8. DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECÂNDIO, Fabrício. Uma disciplina emergente: a didática das línguas. In.: NASCIMENTO, Elvira Lopes (Org). Gêneros textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. São Carlos: Claraluz, 2009. p. 19-50.
9. _______; NOVERRAZ, Michèle e SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. Gêneros Orais e Escritos na Escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. pp. 95-128.
10. _______ ; SCHNEUWLY, Bernard e DE PIETRO, Jean-François. Relato da elaboração de uma sequência: o debate público. In: SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. Gêneros Orais e Escritos na Escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. pp. 247-275.
11. LAGE, Nilson. Estrutura da Notícia. São Paulo: Ática, 2006.
12. LIMA, Gustavo Henrique da Silva. O que eu ensino quando ensino gêneros? Um estudo sobre as ressignificações do agir didático do professor de língua portuguesa. Tese de Doutorado em Letras (Linguística). Recife: PPGL/UFPE, 2016.
13. LUSTOSA, Elcias. O texto da notícia. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1996.
14. MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção Textual, Análise de Gêneros e Compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
15. SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Os gêneros escolares – das práticas de linguagem aos objetos de ensino. In: _______; _______. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. pp. 71-94.
16. SILVA, Carla Messias Ribeiro da. O agir didático do professor de língua portuguesa e sua reconfiguração pelos professores. (Tese de doutorado). São Paulo: PUC/SP, 2013.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
LIMA, Gustavo Henrique da Silva. FORMAS DE PLANIFICAÇÃO DO AGIR DIDÁTICO COM GÊNEROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6601>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6601.