ASPECTOS RETÓRICOS NO GÊNERO TEXTUAL MEME NA INTERNET

  • José Nildo Barbosa de Melo Junior Universidade Federal de Alagoas (Ufal)
  • Eduardo Pantaleão de Morais Universidade Estadual de Alagoas (Uneal)
  • Maria Francisca Oliveira Santos Universidade Estadual de Alagoas (Uneal)

Resumo

Este estudo tem por finalidade analisar especificidades retóricas no gênero textual meme, notadamente as funções retóricas e a ironia como uma figura retórica, em memes da internet. A metodologia adotada para o estudo dos memes é de cunho qualitativo, descrevendo e interpretando as idiossincrasias linguísticas que fazem o referido gênero acontecer, no que diz respeito às funções retóricas e à figura retórica ironia, bem como tornando a análise qualitativa um processo contínuo de construção de versões da realidade (FLICK, 2009). A amostragem para as análises é composta por memes disponíveis na web. Os pressupostos teóricos baseiam-se na Retórica Moderna, a partir de Meyer (2007), Perelman, Olbrechts-Tyteca (1996), Reboul (1998), Sousa (2001), entre outros, bem como se alicerçam nos estudos de Barreto (2015), Horta (2015) e Calixto (2017), os quais trazem discussões acerca do gênero textual meme. Os resultados apontam que os memes apresentam mecanismos retóricos, com vistas a discutir problemas sociais controversos, por meio da sustentação de opiniões ou refutação de tomadas de posição pelos retores enquanto sujeitos das práticas sociais de linguagem. A relevância da temática dá-se por trazer uma abordagem argumentativa do gênero meme na internet, com fundamento na perspectiva da Retórica Moderna.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre e doutorando em Linguística pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

##submission.authorWithAffiliation##
Doutor em Letras Universidade Estadual de Maringá (Uem). Professor de Linguística e Língua Portuguesa da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal).
##submission.authorWithAffiliation##
Doutora em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), onde atua também no Programa de Pós-Graduação em Linguística e Literatura.

Referências

1. ABREU, Antônio Suárez. A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção. 7. ed. Cotia: Ateliê, 2004.
2. ARISTÓTELES. Arte retórica. 2. ed. Revisão: Levi Condinho. Aristóteles. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2005.
3. BARRETO, Krícia Helena. Os memes e as interações sociais na internet: uma interface entre práticas rituais e estudos de face. 2015. 147 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015.
4. CALIXTO, Douglas de Oliveira. Memes na internet: entrelaçamentos entre Educomunicação, cibercultura e a “zoeira de estudantes nas redes sociais. 2017. 233 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.
5. CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. 16. ed. rev. atual. São Paulo: Ática, 2005.
6. DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004.
7. FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; Bookman, 2009.
8. GOMES, Luiz Fernando. Redes sociais e escola: o que temos de aprender? In: ARAÚJO, Júlio; LEFFA, Vilson. Redes sociais e ensino de línguas: o que temos de aprender? 1. ed. São Paulo: Parábola, 2016.
9. HALLIDAY, Teresa Lúcia. O que é retórica. São Paulo: Brasiliense, 1999.
10. HORTA, Natália Botelho. O meme como linguagem da internet: uma perspectiva semiótica. 2015. 190 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Faculdade de Comunicação, Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
11.
12. MEYER, Michel. A retórica. Revisão técnica Lineide Salvador Mosca; tradução Marly N. Peres São Paulo: Ática, 2007.
13. PASSETTI, Maria Célia Cortez. O discurso irônico: análise da argumentação irônica em textos opinativos da Folha de S. Paulo. 1995. 196 f. Dissertação (Mestrado em Filologia e Linguística Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis, São Paulo, 1995.
14. PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação: a nova retórica; tradução Maria Ermantina Galvão G. Pereira. Revisão de tradução Eduardo Brandão 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
15. REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. Tradução Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
16. SOUSA, Américo. A persuasão. Covilhã: Serviços Gráficos da Universidade da Beira Interior, 2001.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
MELO JUNIOR, José Nildo Barbosa de; MORAIS, Eduardo Pantaleão de; SANTOS, Maria Francisca Oliveira. ASPECTOS RETÓRICOS NO GÊNERO TEXTUAL MEME NA INTERNET. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6618>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6618.