UM BREVE OLHAR PARA A BNCC, AS TECNOLOGIAS DIGITAIS E A PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO MÉDIO

A BRIEF LOOK AT BNCC, DIGITAL TECHNOLOGIES AND TEXTUAL PRODUCTION IN HIGH SCHOOL

  • Fernanda de Quadros Carvalho Mendonça Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Claudia Vivien Carvalho de Oliveira Soares Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Resumo

A cibercultura é uma realidade que cada dia mais faz parte da nossa sociedade transformando-a constante e rapidamente. Sendo assim, a inserção das tecnologias digitais no fazer pedagógico e no ambiente escolar se faz necessária de maneira que permita ao aluno a construção do conhecimento baseado em práticas colaborativas. O presente texto tem o objetivo de apresentar uma breve análise em torno das diretrizes constante na Base Nacional Curricular Comum, doravante BNCC, no tocante ao uso das tecnologias digitais na sala de aula, focalizando a produção textual no ensino médio. De cunho qualitativo, este trabalho caracteriza-se na perspectiva da pesquisa documental e de estudos teóricos à luz de autores como Alves (1998), Bohn (2013), Lévy (2010) e Marcuschi, (2004). Os resultados nos indicam que a BNCC preconiza que as tecnologias digitais sejam assumidas como um elemento relevante para elaboração de novas práticas pedagógicas.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestranda em Letras: Cultura, Educação e Linguagens pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Bolsista da Fundação de Amparo à pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Professora Titular na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Referências

1. ALVES, Lynn Rosalina Gama. Novas Tecnologias: instrumento, ferramenta ou elementos estruturantes de um novo pensar? Revista da FAEEBA, Salvador, p. 141-152, 1998.
2. ANTUNES, Irandé. Práticas pedagógicas para o desenvolvimento da escrita. In: COELHO, Fábio André; PALOMANES, Roza (Org.). Ensino da Produção Textual. – São Paulo: Contexto, 2016. p. 9-21.
3. BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1981.
4. BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch (1979). Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão Gomes Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
5. BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.
6. BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. Tradução Milton Camargo Mota. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.
7. BOHN, Hilário. BOHN, Hilário I. Ensino e aprendizagem de línguas: os atores da sala de aula e a necessidade de rupturas. Linguística aplicada na modernidade recente: festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola, v. 1, p. 79-98, 2013.
8. BORGES DA SILVA, Simone Bueno. Língua e tecnologias de aprendizagem na escola. In: FERRAZ, Obdália (Org.). Educação, (multi)letramentos e tecnologias: tecendo redes de conhecimento sobre letramentos, cultura digital, ensino e aprendizagem na cibercultura. Salvador: EDUFBA, 2019. p. 189-204.
9. BRITO, Percival Leme. Em terra de surdos-mudos (um estudo sobre as condições de produção de textos escolares). Trabalhos em linguística aplicada, v. 2, 1983.
10. BUNZEN, Clécio. Da era da composição à era dos gêneros: o ensino de produção de texto no ensino médio. In: BUNZEN, Clécio; MENDONÇA, Márcia. (Org.). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 139-161.
11. CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.
12. DUDENEY, Gavin; HOCKLY, Nicky; PEGRUM, Mark. Letramentos digitais. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.
13. ELIAS, Vanda Maria. Escrita e práticas comunicativas na internet. In: ELIAS, Vanda Maria (Org.). Ensino de Língua Portuguesa: oralidade, escrita e leitura. São Paulo: Contexto, 2011. p. 159-166.
14. EMEDIATO, Wander. Aspectos lógicos, críticos e Linguísticos do ensino da leitura e escrita. In: CAMPOS, Lucas; MEIRA, Vivian (Org.). Teorias Linguísticas e aulas de português. Salvador: EDUNEB, 2016. p. 143-176.
15. FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
16. HETKOWSKI, Tania Maria; MENEZES, Catia Neri. Prática de multiletramentos e tecnologias digitais: múltiplas aprendizagens potencializadas pelas tecnologias digitais. In: Educação, (multi)letramentos e tecnologias: tecendo redes de conhecimento sobre letramentos, cultura digital, ensino e aprendizagem/ Obdalia Ferraz, organizadora – Salvador: EDUFBA, 2019. p. 205-230
17. LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2010.
18. LOPES, Alice Casimiro. Itinerários formativos na BNCC do Ensino Médio: identificações docentes e projetos de vida juvenis. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, p. 59-75, jan./mai. 2019. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/issue/view/35. Acesso em: 12 março de 2019
19. MARCUSCHI, Luiz António. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p. 19-38.
20. MARCUSCHI, Luiz António. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Luiz Antônio Marcuschi, Antônio Carlos dos Santos Xavier (Org.). Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.
21. MARINHO-ARAUJO, Claisy Maria; ALMEIDA, Leandro S. Abordagem de competências, desenvolvimento humano e educação superior. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 32, n. spe, e32ne212, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722016000500211&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 maio 2019. http://dx.doi.org/10.1590/0102-3772e32ne212.
22. MENDONÇA, Fernanda de Quadros C; SOARES, Claudia Vivien C de Oliveira. O uso de tecnologias digitais na sala de aula: contribuições para o ensino e aprendizado da produção textual nos anos finais do ensino fundamental. In: Língua, texto e ensino: descrições e aplicações. 1ed. Vitória da Conquista: Pipa Comunicação, 2018, v.1, p. 1109-1114.
23. MENDONÇA, Fernanda de Quadros C; SOARES, Claudia Vivien C de Oliveira. Tecnologias digitais na sala de aula: um breve olhar para a BNCC. IN: XIII COLÓQUIO DO MUSEU PEDAGÓGICO. Anais... Vitória da Conquista, 2019, v.13, p. 2764 – 2768.
24. PRETTO, Nelson de Luca. Redes sociais e educação: o que quer a geração alt+tab nas ruas? Liinc em Revista, v. 10, n.1, 2014. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3498. Acesso em: 10 maio 2019.
25. RIBEIRO, Ana Elisa. Textos multimodais: leitura e produção. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.
26. SANTAELLA, L. A aprendizagem ubíqua na educação aberta. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, v. 7, n. 14, p. 15-22, set./dez. 2014. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/3446/3010. Acesso em: 20 set. 2017
27. SANTOS, Fernanda Maria Almeida dos. Multiletramentos e ensino de língua portuguesa na educação básica: uma proposta didática para o trabalho com (hiper)gêneros multimodais. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 43, n. 76, p. 55-65, jan. 2018. ISSN 1982-2014. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/view/10671. Acesso em: 10 maio 2019.
28. SILVA, Mônica Ribeiro da. A BNCC da reforma do ensino médio: o resgate de um empoeirado discurso. EDUR - Educação em Revista. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edur/v34/1982-6621-edur-34-e214130.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.
29. SILVA, Zenilda Ribeiro da. Os gêneros textuais digitais e o ensino da língua portuguesa: o facebook como ferramenta pedagógica para o desenvolvimento da escrita. 120 f. 2015. Dissertação (Mestrado) – Centro de Formação de Professores, Curso de Mestrado Profissional em Letras, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, Paraíba, 2015. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/205. Acesso em: 01 ago. 2019.
30. VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente brasileira. 4. ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora, 1991.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
MENDONÇA, Fernanda de Quadros Carvalho; SOARES, Claudia Vivien Carvalho de Oliveira. UM BREVE OLHAR PARA A BNCC, AS TECNOLOGIAS DIGITAIS E A PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO MÉDIO. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6893>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6893.