CENAS DE UMA ATIVIDADE DE LEITURA EM UM CONTEXTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE HERANÇA: APONTAMENTOS INTERCULTURAIS

Autores

  • Fernanda de Castro Modl Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Nádia Dolores Fernandes Biavati Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
  • Eulália Leurquin Universidade Federal do Ceará (UFC)

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6970

Palavras-chave:

Cultura; Língua de herança; Trabalho do professor; Texto como objeto de ensino.

Resumo

Neste artigo, apresentamos duas cenas de uma aula de português como língua de herança na Alemanha e demonstramos como os conceitos de cultura(s) como uma programação coletiva da mente (Woodside, 2010) e território(s) são úteis para entendermos como uma professora brasileira é surpreendida pelo modo como os seus alunos germânico-brasileiros, nascidos e criados na Alemanha, interpretam o texto-objeto de Ensino (uma propaganda verbo-visual impressa). Os apontamentos interculturais que realizamos nos auxiliam a acessar e a compreender circunstâncias que perfazem o trabalho com exemplares de textos no contexto de ensino-aprendizagem de língua de herança, o que, por sua vez, aponta para especificidades do trabalho do professor, que já atua ou quer atuar, nesse contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda de Castro Modl, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (Puc-MG).  

 

Nádia Dolores Fernandes Biavati, Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)

Professora Adjunta da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Integrante do Promel (Programa de Mestrado em Letras: Teoria Literária e Crítica da Cultura). Doutora  em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Eulália Leurquin, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professora Associada IV da Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Integrante do PPGL (Programa de Pós-Graduação em Linguística).  Líder do GEPLA/CNPQ (Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguística Aplicada).

Referências

1. ANDRADE, Mariana Kuntz. Autenticidade de materiais e ensino de línguas estrangeiras. Pandaemonium Germanicum, v. 20, n. 31, p. 1-29, 2017.¬
2. BRONCKART, Jean Paul; MACHADO, Anna Rachel. Procedimentos de análise de texto sobre o trabalho educacional. In: MACHADO, Anna Rachel (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: EDUEL, 2004, p. 131-163.¬
3. CASTELLOTTI, V. & MOORE, D. Social Representations of Languages and Teaching. Guide for the Development of Language Education Policies in Europe From Linguistic Diversity to Plurilingual Education. Strasbourg, Council of Europe, 2002. http://www.coe.int/t/dg4/linguistic/source/castellottimooreen.pdf ¬
4. CELANI, Maria Antonieta Alba. A Relevância da Lingüística Aplicada na Formação de uma Política Educacional Brasileira. In: FORTKAMP, M.B.M.; TOMITCH, L.M.B. (Orgs.) Aspectos da lingüística aplicada. Florianópolis: Insular, 2000.¬
5. DURANTI, Alessandro. Theories of culture. In: DURANTI, Alessandro. The Anthropology of Intentions Language in a World of Others, Cambridge (U.K.): University Printing House, 2015, p. 23- 50. ¬
6. DUBOIS, D.; MONDADA, L. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, Mônica Magalhães; RODRIGUES, Bernadete Biasi; CIULLA, Alena (Orgs.). Referenciação. São Paulo: Contexto, 2003.
7. ERICKSON, Frederick. What makes school ethnography “ethnographic”? In: Council on Anthropology and Education Newsletter/Antropology & Education Quarterly, v. 4 (2). Boston: Little Brown, 1973. p. 10-19
8. FLORES, Cristina; BARBOSA, Pilar. Clíticos no português de herança de emigrantes bilingues de segunda geração. Textos Seleccionados, XXVI Encontro da Associação Portuguesa de Linguística, p. 81-98, 2011.
9. GUARDADO, Martin. Discourse, Ideology and Heritage Language Socialization. Micro and Macro Perspectives. Boston; Berlin: De Gruyter Mouton. Series: Contributions to the Sociology of Language. Volume 104, 2018.¬
10. GEERTZ, Clifford. 1973. The Interpretation of Cultures. New York: Basic Books. ¬
11. HANCOCK, Black Hawk. Embodiment. A dispositional Approach to Racial and Cultural Analysis. In: JEROLMACK, Colin; KHAN, Shamus (Ed). Approaches to Etnography. Analysis and Representation in Participant Observation. New York, Oxford University Press, 2018, p.155-183.¬
12. HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: Do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.¬
13. MACHADO, A. R. (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina, PR: Eduel, 2004.
14. MARCUSCHI, Luiz Antônio. O léxico: lista, rede ou cognição? In: NEGRI, Lígia; FOLTRAN, Maria José; OLIVEIRA, Roberta Pires de (Org.). Sentido e significação: em torno da obra de Rodolfo Ilari. São Paulo: Contexto, 2004.
15. MATENCIO, Maria de Lourdes. (2006). Formação do professor e representações sociais de língua(gem): por uma lingüística implicada. Filologia e Linguística Portuguesa, (8), 2006, p. 439-449. http://www.revistas.usp.br/flp/article/view/59765/62874¬
16. MODL, Fernanda de Castro; LEURQUIN, Eulália Vera Lúcia Fraga. Lusofonia em seus contextos de ensino, aprendizagem e formação de professores. Fólio – Revista de Letras, Vitória da Conquista, v.10, n.1, jan-jun de 2018, p. 333-340. ¬
17. MODL, Fernanda de Castro; BIAVATI, Nádia Dolores Fernandes. CULTURA ESCOLAR E DESNATURALIZAÇÃO DO OLHAR. Fólio – Revista de Letras, Vitória da Conquista, v. 8, n. 2, fev. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/2767¬
18. MODL, Fernanda de Castro. Rules of Behavior and Interaction in German and Brazilian Classrooms: (Inter)Cultural Uses of the Word in Schools. 1a. ed. Frankfurt am Main: Peter Lang, 2017. v. 1, 184 p.¬
19. MODL, Fernanda de Castro; LEURQUIN, Eulália. LUSOFONIA EM SEUS DIVERSOS CONTEXTOS DE ENSINO, APRENDIZAGEM E FORMAÇÃO DE PROFESSORES. Fólio – Revista de Letras, Vitória da Conquista, v. 10, n. 1, ago. 2018. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/4169MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma Lingüística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.
20. MYERS, Michael D; AVISON, David E. An Introduction to Qualitative Research. In: Information Systems Qualitative Research in Information Systems: A Reader. MYERS, Michael D; AVISON, David E (orgs), SAGE Publications, London, 2002. ProQuest Ebook Central, p. 1-12. ¬
21. OCHS, Elionor. Transcription as Theory. In: OCHS, Elionor; SCHIEFFELIN. Development Pragmatics. New York: Academic Press, 1979, p. 4-72. ¬
22. PINTO, A. P. Gêneros discursivos e ensino de língua inglesa. In: A. P. Dionísio; A. R. Machado e M. A. Bezerra (orgs.): Gêneros textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, p. 47-57. 2002.¬
23. PONTARA, Claudia Lopes; CRISTOVÃO, Vera Lucia Lopes. Gramática/análise linguística no ensino de inglês (língua estrangeira) por meio de sequência didática: uma análise parcial. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, v. 33, n. 3, 2017, p. 873-909. ¬
24. POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas; São Paulo: ALB; Mercado de Letras, 1996.¬
25. QUINN, Naomi (Ed). Finding Culture in Talk: a collection of methods. Palgrave Macmillan, England, 2005. ¬
26. SERRRANI, S. (Org.). Discurso e cultura na aula de língua: currículo, leitura, escrita. Campinas: Pontes, 2005
27. STÜRMER, Arthur Breno; DA COSTA, Benhur Pinós. Território: aproximações a um conceito-chave da geografia, Geografia, Ensino & Pesquisa, Vol. 21 (2017), n.3, p. 50-60ISSN: 2236-4994 DOI: 10.5902/2236499426693. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/viewFile/26693/pdf. ¬
28. WOODSIDE, Arch G. Case Study Research: Theory, Methods, Practice. Esmerald Group Publishing Limited, Bingley, United Kingdom, 2010, 440p. ¬
29. ZANDWAIS, Ana. Demandas da pesquisa e diálogos entre teoria e prática. In: LEFFA, Vilson; ERNST, Aracy (Org.). Linguagens: metodologias de ensino e pesquisa. Pelotas: Educat, 2012. p. 13-26. ¬

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

[1]
Modl, F. de C., Biavati, N.D.F. e Leurquin, E. 2020. CENAS DE UMA ATIVIDADE DE LEITURA EM UM CONTEXTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE HERANÇA: APONTAMENTOS INTERCULTURAIS. fólio - Revista de Letras. 12, 1 (jul. 2020). DOI:https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6970.