DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A AGRICULTURA FAMILIAR DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÓPOLIS/SE

  • João Ernandes Barreto Nascimento UESB
  • Jose Eloizio da Costa UFS
  • Fernanda Viana de Alcantara UESB

Resumo

O objetivo deste trabalho consiste em compreender dinâmica socioeconômica que envolve a agricultura familiar do município de Ribeirópolis/SE, buscando identificar os fatores que podem ser compreendidos como atuantes na reprodução das unidades familiares deste município. Sendo assim, a partir da revisão da literatura selecionada e através das discussões em reuniões semanais realizadas no Grupo de Pesquisa sobre Dinâmica Rural e Regional (GDRR), além da coleta e análise de dados secundários, pode-se fundamentar teórico e empiricamente a pesquisa em questão, além da realização de trabalho de campo aonde foram aplicados 15 questionários e realizadas entrevistas semiestruturadas. Pode-se destacar que as rendas oriundas das atividades não agrícolas, verificadas a partir do trabalho de campo, são atividades do tipo pedreiro, ajudante de serviços em geral, pintor, faxineira e marchante. Nestes termos, o estudo em questão poderá proporcionar novos olhares sobre a nova realidade rural, assim como, estratégias de intervenção pública, fornecendo subsídios que contribuam para a inclusão dos pequenos produtores no sistema produtivo. Portanto, concluiu-se que mesmo não apresentando as mesmas condições socioeconômicas de outras áreas do Brasil, à diversificação do trabalho representa, para as unidades familiares pluriativas, uma relevante alternativa para os agricultores familiares do município de Ribeirópolis/SE.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando em Geografia (PPGeo/UESB), bolsista da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e membro do Grupo de Pesquisa Sobre Dinâmica Rural e Regional (GDRR/UFS) credenciado no CNPq. ernandes20bn@hotmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Docente do programa de pós-graduação da Universidade Federal de Sergipe. eloizio.npgeo@gmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Professora do  programa de pós-graduação em geografia da UESB, do departamento de Geografia da UESB e da rede estadual de ensino do Estado da Bahia. nandanpgeo@yahoo.com.br

Referências

CANDIOTTO, L. Z. P. Pluriatividade: aspectos históricos e conceituais. Faz Ciência Francisco Beltrão, (UNIOESTE), v. 9, n. 10, p. 191-208, 2007.
CORRÊA, Roberto Lobato. Espaço um Conceito Chave. In: Geografia Conceitos e Temas. Bertrand Brasil. Rio de Janeiro, 2000.p. 15-48.
FAJARDO, Sergio. Complexo agroindustrial, modernização da agricultura e participação das cooperativas agropecuárias no estado do Paraná. - revista on line caminhos da geografia. Uberlândia, v. 9, n. 27, set. 2008, p. 31-44.
GRAZIANO DA SILVA, José. A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas: Unicamp-IE, 1996.
______. O novo rural brasileiro. Nova Economia, v. 7, n. 1. Belo Horizonte- MG, 1997. p. 43-81.
______. Os desafios das Agriculturas Brasileiras. In: José Garcia Gasques, José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho, Zander Navarro, (organizadores). A Agricultura Brasileira: desempenho, desafios e perspectivas / - Brasília: Ipea, 2010. p. 157-184.
______. A industrialização e urbanização da agricultura brasileira. Versão de um trabalho apresentado ao projeto Iris/Desep-Cut fevereiro de 1993, p.1-9.
GRAZIANO DA SILVA, José. & DEL GROSSI, M. E. A evolução da agricultura familiar e do agribusiness nos anos 90. In: RATTNER, H. (Org.) O Brasil no limiar do século XXI. São Paulo: EDUSP, p. 139-158, 2000.
LEITE, Sérgio Peite; KATO, Karina. Desafios dos processos de Gestão Social e proposições de Política. In: BARCELAR, Tânia,..[et.al] Gestão social dos territórios – Brasília: IICA, (Série Desenvolvimento Rural Sustentável: v.10), 227 p. 2009.
LOPES, Eliano Sérgio A. A pluriatividade na agricultura familiar do Estado de Sergipe. In: COSTA, J. E.; LOPES, S. A. (organizadores).Territórios Rurais e Agricultura Familiar no Nordeste. São Cristóvão: Editora UFS, 2009.
MARTINS, José de S. O sujeito oculto: ordem e transgressão na reforma agrária. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2003.
MENDES, Marcelo Alves. Os (des) caminhos geográficos e a pluriatividade na agricultura familiar: aspectos teóricos e cotidianidade da agricultura familiar no Nordeste. São Paulo: Novas Edições Acadêmicas, 2014. v. 200. 261p.
NASCIMENTO, Carlos A. do. Pluriatividade, pobreza rural e políticas públicas. . (Tese de Doutorado). Campinas-SP: INSTITUTO DE ECONOMIA, UNICAMP/IE, 2005.
SCHNEIDER, Sergio. Agricultura familiar e desenvolvimento rural endógeno. Texto apresentado no Seminário de Desenvolvimento Rural - Tendências e debates contemporâneos. Realizado em 26 e 27 de maio de 2003, pela UFSM, em Santa Maria/RS/ Publicado em 2006.
______. As atividades rurais não agrícolas e as transformações do espaço rural: perspectivas recentes. Cuadernos de Desarrollo Rural. v. 1 n. 44, Bogotá, 2000, p. 11-40.
______. A importância da pluriatividade para as políticas públicas no Brasil. Revista Política Agrícola, Brasilia, Ano XVI, nº 3, Jul./Set./ 2007.
______. Políticas públicas pluriatividade e desenvolvimento rural no Brasil. ANAIS, Políticas publicas y desarrolho rural, en el VII Congresso De La Asociación Latino Americana de Sociología Rural/ALASRU-20-24 de Novimbre del 2006- Quito, Equador, p. 1-20.
______. Situando o desenvolvimento rural no Brasil: o contexto e as questões em debate. Revista de Economia Política, São Paulo, v.30, n. 3, p. 511 531, julho setembro/2010.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução Laura Teixeira Motta - São Paulo: Companhia de letras, 2010. 461 p. 4ª reimpressão.
WANDERLEY, Maria de N. B.O lugar dos rurais: o meio rural no Brasil moderno. Resumo dos Anais do XXXV Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural. Natal – RN, 1997.
Publicado
2018-08-27
Como Citar
NASCIMENTO, João Ernandes Barreto; COSTA, Jose Eloizio da; ALCANTARA, Fernanda Viana de. DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A AGRICULTURA FAMILIAR DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÓPOLIS/SE. Geopauta, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 46-65, ago. 2018. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/2735>. Acesso em: 23 set. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v2i2.2735.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##