Abastecimento de água na cidade de Caetité entre 2012 e 2016: influência de aspectos naturais e implantação da adutora do algodão

Resumo

A distribuição da água pela superfície do Planeta Terra não ocorre de forma homogênea, ocasionando a existência de regiões que sofrem com o déficit hídrico, em especial a porção referente à água doce, o que impulsiona o emprego de ações para gestão desse elemento natural. Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo analisar a situação do abastecimento hídrico da cidade de Caetité-Bahia a partir da implantação da Adutora do Algodão entre os anos de 2012 e 2016, diante do descompasso da distribuição da água no município que integra o semiárido nordestino.


Palavras-chave: Aspectos fisiográficos. Abastecimento Hídrico. Adutora do Algodão.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor Doutor do Departamento de Ciencias humanas - DCHVI- curso de Geografia da UNEB

Referências

AGERSA. Relatório de fiscalização: sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário do município de Caetité. AGERSA: dezembro, 2014. PDF.

Câmara municipal de Caetité. Plano de desenvolvimento do munícipio de Caetité: lei nº. 632 de 10 de outubro de 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 de novembro de 2016.

CODEVASF. Adutora do Algodão entra em operação e termina racionamento de água em Guanambi. Disponível em: . Acesso em: 01 de dezembro 2016.

CPRM. Mapa de domínios/subdomínios hidrogeológicos do Brasil em ambiente SIG: concepção e metodologia. Disponível em: . Acesso em: 25 de abril de 2017.

EMBASA. Relatório anual de informação ao consumidor 2015: sistema de abastecimento de água do município de Caetité. Bahia Governo do Estado: EMBASA, 2015.

HELLER, Léo. Abastecimento de água, sociedade e ambiente. In: HELLER, Léo; PÁDUA, Valter Lúcio de. Abastecimento de água para consumo humano. 2. ed. rev. e atual.- Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. 1 v.: il. - (Ingenium). p. 29-64.

IBGE. Caetité. Disponível em: . Acesso em: 01 de março de 2016.

IBGE. Biblioteca: Projeto Radambrasil - Brasília, Área da Folha SD. 23; Recursos naturais. Disponível em: . Acesso em: 29 de maio de 2017.

INMET. Estações e dados: BDMEP – dados históricos. Disponível em: . Acesso em: 10 de maio de 2017.

Morador A. Entrevista concedida a Vagner Santos Dantas de Almeida. Caetité-BA, julho de 2017. [A entrevista encontra-se transcrita no Apêndice "2" da monografia].

Morador B. Entrevista concedida a Vagner Santos Dantas de Almeida. Caetité-BA, julho de 2017. [A entrevista encontra-se transcrita no Apêndice "2" da monografia].

Morador D. Entrevista concedida a Vagner Santos Dantas de Almeida. Caetité-BA, agosto de 2017. [A entrevista encontra-se transcrita no Apêndice "2" da monografia].

REBOUÇAS, Aldo da C. Água doce no mundo e no Brasil. In: REBOUÇAS, Aldo da C; BRAGA, Benedito; TUNDIZI, José Galizia. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 3º ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2006. p. 01-35.

UOL. Por que chove tanto no Nordeste, mas o sertão continua seco?. Disponível em: . Acesso em: 19 de maio de 2017.

Sem ZCAS e sem ZCIT. Climatempo Meteorologia. Youtube. 27 de jan. de 2015. 2min37s. Disponível em: . Acesso em: 08 de setembro de 2017.

TUNDISI, José Galizia. Água no século XXI: enfrentando a escassez. 2. ed. São Carlos. RiMa, Instituto Internacional de Ecologia, 2005.
Publicado
2019-07-26
Como Citar
ALMEIDA, Vagner Santos Dantas de; OLIVEIRA, Manoel Alves de. Abastecimento de água na cidade de Caetité entre 2012 e 2016: influência de aspectos naturais e implantação da adutora do algodão. Geopauta, [S.l.], v. 3, n. 1, p. 47-60, jul. 2019. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/4024>. Acesso em: 17 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v3i1.4024.