Agricultura na serra de Uruburetama, Ceará

Resumo

O uso e a ocupação das regiões úmidas no Estado do Ceará, intensificou a dinâmica geomorfológica nas Serras úmidas de Uruburetama ao longo dos 973,43 km². Para compreender a organização dos sistemas ambientais aplicou-se a compartimentação geomorfológica e Geossistemica de Bertrand (1968), classificando em unidades inferiores de paisagens em Geofáceis de (Topo, Vertente e Vale) nos quadrantes I e II, com área de 12,43 km². Assim, observou-se nos dados da produção agrícola do milho uma concentração de acidez favorável com pH 6,0 nas áreas de Quadrante I mais concentra em relação ao Quadrante II, propondo-se um zoneamento da paisagem com base nos critérios agrícolas.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Geografia. Universidade Estadual Vale do Acaraú/UVA, Ceará, Brasil. josenelsonnascimento@gmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Prof. Associado do Curso de Mestrado Acadêmico em Geografia da UVA

Pós-doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (UFC

##submission.authorWithAffiliation##

Profa. Associada do Curso de Geografia da Universidade Estadual do Ceará/UECE. cleirefalcao@gmail.com

Pós-Doutorado -Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.

Referências

AB`SABER, A. N. Sertões e Sertanejos: Uma Geografia Humana Sofrida. Revista de Estudos Avançados, USP, 1999.
BRASIL. DECRETO Nº 4.297, DE 10 DE JULHO DE 2002. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4297.htm> Acessado em 12 de Novembro de 2017.
BACCARO, C. A. D. Estudo dos Processos Geomorfológicos de Escoamento Pluvial em Área de Cerrado – Uberlândia – MG. Tese de Doutorado. São Paulo, 1990.
BARBOSA, W. R. Evolução Pedogenética em Duas Vertentes do Maciço de Baturité – CE. Dissertação de Mestrado UFC, Fortaleza, 2008.
BERTONI, J. e LOMBARDINI NETO, F. Conservação do Solo. 4° Edi. Editora Ícone, São Paulo, 1999.
BERTRAND, G. Paisagem e Geografia Física Global: Esboço Metodológico em 1968. R. RA´EGA. n 08, p, 141-154. Ed. UFPR. Curitiba-PR, 2004.
CENTEC. Instituto Centro de Ensino Tecnológico. Produtor de milho. 2 ed. Edições Demócrito Rocha; Ministério da Ciência e Tecnologia. Fortaleza, 2004, p 56.
CHRISTOFOLLETI, A. Modelagem dos Sistemas Ambientais. São Paulo, Ed. Blucher, São Paulo, 1999.
COSTA FALCÃO, C. L. Avaliação Preliminar dos Efeitos da Erosão e de Sistemas de Manejo na Produtividade de um Argissolo na Serra da Meruoca. Dissertação de Mestrado – UFC, Fortaleza, 2002.
COSTA FALCÃO, C. L. Eroção hídrica do solo e a estimativa da produção de sedimentos, em uma área de maciço residual úmido no semiárido cearense. In: Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada e I Congresso Nacional de Geografia Física 2017. Campinas-SP.
ELIAS, D. e PEQUENO, R. Restruturação econômica e nova economia política da Urbanização no Ceará. Revista Mercator, v 12, n,28, mai/ago, 2013
EMBRAPA. Manual de Análises Químicas de Solos, Plantas e Fertilizantes. 1° Ed. Ed. EMBRAPA Informática Agropecuária, Brasília, 1999.
FALCAO SOBRINHO, J. O relevo, elemento e âncora, na dinâmica da paisagem do vale, verde e cinza, do Acaraú, no Estado do Ceará, FFLCH/USP, São Paulo, 2006.
FALCAO SOBRINHO, J. Relevo e Paisagem: proposta metodológica. Edições UVA, Sobral, 2007.
FALCAO SOBRINHO, J. A compartimenção geomorfológica do Vale do Acaraú: distribuição das águas e pequeno agricultor. Mercator, Fortaleza, v. 5, n. 10, p. 91 a 110, nov. 2008.
FALCÃO SOBRINHO, J; COSTA FALCÃO, C. L. Geografia Física: a natureza na pesquisa e no ensino. Rio de Janeiro. TMAISOITO, 2008.
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017. Disponível em Acessado em 10 de outubro de 2017.
IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Itapajé: Produção Agrícola Municipal - Lavoura Temporária. Rio de Janeiro, 2004 a 2014.
IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Uruburetama: Produção Agrícola Municipal - Lavoura Temporária. Rio de Janeiro, 2004 a 2014.
IPLANCE, Atlas do Ceará: Coloridos Escala de 1:1.500.000. Fortaleza, 1989.
LIMA, E. C. Análise e Manejo Geoambiental das Nascentes do Alto Rio Acaraú: Serra das Nascentes – CE. Dissertação de Mestrado apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE, Fortaleza, 2004.
SILVA, M. V. C. Análise Geoambiental: Subsídios ao Planejamento Agrícola da Serra de Uruburetama – Ce. Dissertação de Mestrado apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE, Fortaleza, 2007.
SCHIMIDT, J.; HEWIT, A. Fuzzy land elemento classification from DTMs based on geometry and terrain position. Geoderma. N, 121. 2004. p, 243-256.
SCHNEIDER, P. GIASSON, E. e KLAMT, E. Classificação da Aptidão Agrícola das Terras: Um Sistema Alternativo. Ed. Agrolivros, Guaíba-RS, 2007. 70p.
TRICART, J. Ecodinâmica. IBGE: Diretoria Técnica, SUPREN, Rio de Janeiro, 1977.
TROPPMAIR, H. O Geossistema: Embasamento Teórico e Metodológico. Tese de Doutorado Apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da UNESP, Rio Claro, 1995.
PIRES, F. R. e SOUZA, C. M. Práticas Mecânicas de Conservação do Solo e da Água. 2° Ed. Ed, Nobel. Viçosa, 2006.
Publicado
2020-04-30
Como Citar
NETO, José Nelson do Nascimento; SOBRINHO, José Falcão; FALCÃO, Cleire Lima da Costa. Agricultura na serra de Uruburetama, Ceará. Geopauta, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 49-68, abr. 2020. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/6122>. Acesso em: 02 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v4i1.6122.
Seção
Artigos