Abordagem geográfica do Polo Costa das Dunas/RN

Resumo

O presente artigo traz uma  abordagem geográfica do Polo Costa das Dunas (PCD), Rio Grande do Norte, levando em consideração os fundamentos teóricos para a sua criação; dados estatísticos oficiais do IBGE, Ministério do Turismo e Ministério do Trabalho, no qual propõem uma regionalização interna com base nos indicadores econômicos, sociais e turísticos e a relação entre produto turístico e oferta turístico com espaço geográfico e território usado, destacando o papel do turismo para o desenvolvimento para as regiões internas do polo. O turismo no momento está sendo insuficiente para o desenvolvimento economico para todo o PCD, pois concentra-se em Natal e Tibau do Sul, sendo uma atividade de pouca expressividade nos demais municípios do polo.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor Assistente do Departamento de Geografia da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Campus Mossoró. E-mail: josealmada@uern.br.

Referências

ALMADA, José Alexandre Berto De. Espaço Geográfico e existencialismo: leitura de Sartre em Milton Santos. Revista de Geografia-PPGEO-UFJF, v.3, n. 2, 2013.
ALVES, Gilson Fernando. Avaliação da cidadania participativa no PRODETUR/NE-II: o caso do Conselho de Turismo do Polo Costa das Dunas. Dissertação (Mestrado Profissional em Avaliação de Políticas Públicas). UECE. Fortaleza, 2009.
BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. Relatório de Gestão. 2002.
BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. Relatório Final de Projeto -Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste – Primeira Fase. 2005.
BENI, Mário Carlos. Análise Estrutural do Turismo. 6 ed. São Paulo: Senac, 2001.
BEZERRA, Josenildo Soares; ARAÚJO, Josélia Carvalho de. Zona Norte: entre o estigma de exclusão/discriminação e a tentativa de reafirmação. In: SÁ, Alcindo José. Por uma Geografia sem cárceres públicos ou privados. UFPE: Recife, 2007, p. 166-176.
BRASIL. Plano de desenvolvimento integrado do turismo sustentável – PDITS POLO COSTA BRANCA – Versão Final. Brasília, 2011.
BRASIL. Portal Brasileiro de Dados Abertos. Categorização dos Municípios Turísticos. 2018, disponível em << http://dados.gov.br/dataset/categorizacao>>. Acesso em 19 de jul. de 2019.
COUZON, Isabelle. “Les espaces économiques” de François Perroux (1950). Organisation de l’espace et aménagement du territoire dans l’économie et la géographie françaises au milieu du XXème siècle. Revue d'Histoire des Sciences Humaines. N.9, 2003, p.81-102.
EQUIPE PCR. Relatório de término de projeto: Projeto: Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur/NE II). 2012.
HAESBAERT, Rogério. Regional-global: Dilemas da região e da regionalização na geografia contemporânea. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.
HAESBAERT, Rogério. Região. Geographia. V.21, n.45, 2019, p.117-120.
IBGE. Cidades. Disponível em << https://cidades.ibge.gov.br/>>. Acesso em 10 de out. de 2019a.
IBGE. Produto Interno Bruto do Municípios. Disponível em << https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9088-produto-interno-bruto-dos-municipios.html?=&t=resultados>>. Acesso em 06 de jun. de 2019b.
IBGE. Brasil em síntese. Disponível em <>. Acesso em 02 de fev. de 2020
LIMA, Ana Carolina da; SIMÕES, Rodrigo Ferreira. Teorias do desenvolvimento regional e suas implicações de política econômica no pós-guerra: o caso do Brasil. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2009.
MINISTÉRIO DO TRABALHO. Bases Estatísticas RAIS e CAGED. Disponível em << http://bi.mte.gov.br/bgcaged/inicial.php>>. Acesso em 24 de jan. de 2020.
MEDEIROS, Thiago Belo de. O turismo de sol e praia e o circuito inferior da economia urbana: um estudo a partir da praia de Ponta Negra – Natal/RN. Dissertação em Geografia. UFRN, 2014.
NATAL ONLINE. Passeios e atrações. Disponível em << https://www.natalonline.com/passeios-e-atracoes>>. Acesso em 06 de nov. de 2019.
NUNES, Elias. Geografia Física do Rio Grande do Norte. Natal: Imagem Gráfica, 2006.
OLIVEIRA, Juliano Varela de. Cidades e turismo sustentável: a cooperação interinstitucional no Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Pólo Costa das Dunas/RN. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações). UFRN. Natal, 2006.
PEDROZA, Breno Viotto. A recepção da teoria dos polos de crescimento no Brasil. Terra Brasilis (Nova Série). N.9, 2017, p.1-14.
RIO GRANDE DO NORTE. Decreto Nº 18.186, de 14 de abril de 2005. Institui o Polo Costa das Dunas e dá outras Providências. 2005.
RIO GRANDE DO NORTE. Decreto Nº 26.661, de 20 de fevereiro de 2017. Dispõe sobre os Polos Turísticos do estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. 2017.
SANTOS, Milton. Sous-déveleppement et poles croissance économique et sociale. Revue Tiers-Monde. Press Universitaire de France, 1974, p. 271-286.
SANTOS, Milton. Espaço dividido. São Paulo: Edusp, 2008.
SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo; Razão e Emoção. São Paulo: Edusp, 2012.
SETUR. Indicadores básicos do turismo 2006/2012. Natal, 2013.
THÉRY, Herve. Lieux et flux du tourisme intérieur brésilien. Via Tourism Review. 2015.
Publicado
2020-04-30
Como Citar
ALMADA, José Alexandre Berto de. Abordagem geográfica do Polo Costa das Dunas/RN. Geopauta, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 141-161, abr. 2020. ISSN 2594-5033. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/6242>. Acesso em: 02 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/rg.v4i1.6242.
Seção
Artigos