Agroclimatic risk zoning of lemon (citrus aurantifolia) in the hydrographic basin of Paraná River III, Brazil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v4i2.6457

Resumo

A lima ácida Tahiti está entre as dez variedades de frutas mais importantes produzidas e consumidas no Brasil, sendo o quinto maior produtor mundial. O objetivo desse trabalho foi realizar o zoneamento de risco agroclimático para o limoeiro (Citrus aurantifolia) na bacia do Rio Paraná III. Foram elaborados mapas temáticos por meio de interpolação e regressões, além de gráficos de probabilidade para a análise do risco. O risco agroclimático para o limoeiro foi pautado nas exigências da espécie, sendo estas, precipitação, deficiência hídrica, temperatura do ar média e máxima, unidade térmica/graus dia e risco de geada. A maior parte da área da bacia foi apta para o cultivo. Não houve áreas inaptas, apenas restritas demonstrando assim, o potencial para a produção na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nathan Felipe da Silva Caldana, Universidade Estadual de Londrina- UEL- Brasil

Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestre em Engenharia Ambiental na linha de pesquisa Poluição do Ar e Processos Atmosféricos pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia Ambiental (PPGEA) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Doutorando em Agronomia pelo Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Estadual de Londrina, na linha de pesquisa de Fitotecnia, com ênfase em Agrometeorologia. Bolsista de pesquisa do Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR/ITAIPU Binacional, com ênfase em Zoneamento de Risco Agroclimático.

Daniel Soares Alves, Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR.- Brasil

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Minas Gerais onde atuou, durante 3 anos, como bolsista no Programa de Educação Tutorial (PET). Desenvolveu trabalhos de pesquisa visando a domesticação e cultivo de espécies medicinais em escala industrial em empresas farmacêuticas multinacionais (Merck e Quercegen Agronegócios I). Possui especialização em Administração Rural pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), mestrado em Agronomia, pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e doutorado em Engenharia de Sistemas Agrícolas pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP), atuou na área de Ecofisiologia Vegetal do Instituto Agronômico do Paraná na área de ecofisiologia vegetal realizando trabalhos direcionados às relações hídricas e a produção das culturas e como professor no Centro Universitário Filadélfia (UNIFIL) ministrando disciplinas de Topografia e Geoprocessamento aplicado à Agricultura, Hidráulica, Irrigação e Drenagem. Tem experiência agronômica nas áreas de Irrigação, Fertirrigação, Fisiologia Vegetal, Fertilidade do Solo, Propagação e Manejo de Plantas

Jorge Alberto Martins, Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR- Brasil

Possui graduação em Física pela Universidade Estadual de Londrina (1993), mestrado em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1999) e doutorado em Meteorologia pela Universidade de São Paulo (2006), com estágio no Max Planck Institute for Meteorology - Hamburg (2005). Atua como docente do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR, Campus Londrina. Presidiu a elaboração da proposta de criação do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental da UTFPR, tendo sido seu coordenador no período 2012-2014. Foi Pesquisador Visitante junto à Division of Water Resources Engineering - Lund University no período 2017-2018. Tem experiência em Meteorologia Física e Hidrologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Poluição do ar, interação aerossóis-nuvens-precipitação, tempestades de granizo, modelagem atmosférica e hidrológica do impacto das atividades humanas, sensoriamento remoto da superfície da Terra e eventos meteorológicos e climáticos extremos.

Referências

AL-AAMRI, M. S. et al. Chemical composition and in-vitro antioxidant and antimicrobial activity of the essential oil of Citrus aurantifolia L. leaves grown in Eastern Oman. Journal of Taibah University medical sciences, v. 13, n. 2, p. 108-112, 2018. https://doi.org/10.1016/j.jtumed.2017.12.002
CALDANA, N. F. S. et al., Agroclimatic Risk Zoning of Avocado (Persea americana) in the Hydrographic Basin of Paraná River III, Brazil. Agriculture, v. 9, n. 263, p. 1-11, 2019. https://doi.org/10.3390/agriculture9120263
COELHO, Y. da S. et al. A cultura do limão-taiti. Área de Informação da Sede-Col Criar Plantar ABC 500P/500R Saber (INFOTECA-E), 1998.
FAO. 2017. Crops production. Disponível em: http://faostat3.fao.org/download/Q/QC/S Acesso em: 10 jan. 2020.
IPARDES, Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Produção de Limão. Disponível em: < http://www.ipardes.gov.br/imp/index.php > Acesso em: 10 jan. 2020.
LADANIYA, M. S. et al. High density planting studies in acid lime (Citrus aurantifolia Swingle). Scientia Horticulturae, v. 261, p. 108935, 2020. https://doi.org/10.1016/j.scienta.2019.108935
MARCONDES, P. T. S. Manejo do florescimento e da produção de lima ácida Tahiti com reguladores de crescimento e crescimento de derriça. Dissertação (Mestrado em Fruticultura Tropical) – Escola de Agronomia, Universidade Federal da Bahia, Cruz das Almas, 1991.
MATTOS JR., D.; QUAGGIO, J.A.; CANTARELLA, H. Manejo da fertilidade do solo. In: Mattos, JR., D. et al. (Eds.). Lima ácida Tahiti. Campinas: IAC. p.67-80, 2003a.
MATTOS JR., D.; DE NEGRI., D. J.; FIGUEIREDO., J.O. lima ácida Tahiti. Campinas: Instituto Agronômico. Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Citros “Sylvio Moreira”, 2003b.
NDO, E. G. D. et al. Tolerance of citrus genotypes towards Pseudocercospora leaf and fruit spot disease in western highlands zone of Cameroon. Crop Protection, v. 124, p. 104828, 2019. https://doi.org/10.1016/j.cropro.2019.05.022
OWI, W. T. et al. Unveiling the physicochemical properties of natural Citrus aurantifolia crosslinked tapioca starch/nanocellulose bionanocomposites. Industrial Crops and Products, v. 139, p. 111548, 2019. https://doi.org/10.1016/j.indcrop.2019.111548
SAM, O.; ROSADO, F.; GONZALEZ, M. E. Crecimiento y desarrollo de frutos de lima Persa (Citrus latifolia Tan) durante dos años en las condiciones del sureste de la Habana. Universidad Central de las Villas, Santa Clara (Cuba)., 1988. sidalc.net/cgi-bin/wxis.exe/?IsisScript=CENIDA.xis&method=post&formato=2&cantidad=1&expresion=mfn=044812 Acessed in 22, sep, 2019.
SANTOS FILHO, H. P. Citros: o produtor pergunta, a Embrapa responde. Área de Informação da Sede-Col Criar Plantar ABC 500P/500R Saber (INFOTECA-E), 2005. https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/119224 Acessed in 11, nov, 2019.
SILVA, C. R. et al. Water relations and photosynthesis as criteria for adequate irrigation management in ‘Tahiti’ lime trees. Scientia Agricola, v. 62, p. 415-422, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162005000500001
VOLPE, C. A. et al. Citros. in. MONTEIRO, J. E. B A. Agrometeorologia dos cultivos: o fator meteorológico na produção agrícola. Brasília: INMET, p. 321-332, 2009. http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=home/page&page=livro_agro Acessed in 30, sep, 2019.
STUCHI, E.S.; CYRILLO, F.L.L. Lima ácida “Tahiti”. Funep, 1998.

Downloads

Publicado

2020-07-08

Como Citar

CALDANA, N. F. da S.; ALVES, D. S.; MARTINS, J. A. Agroclimatic risk zoning of lemon (citrus aurantifolia) in the hydrographic basin of Paraná River III, Brazil. Geopauta, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 53-70, 2020. DOI: 10.22481/rg.v4i2.6457. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/6457. Acesso em: 29 set. 2020.

Edição

Seção

Artigos