TANGO E IDENTIDADE: Problematizando o lugar da afrodescendência na Argentina

  • Omer Nahum Freixa Universidade de Buenos Aires

Resumo

O tango é a música mais evocativa da área do Río de la Plata. Muito foi dito e foi escrito neste gênero que conquistou multidões em vários contextos históricos e em lugares diferentes do mundo, mas um problema de visibilidade existe. Nos começos deles e desenvolvimento posterior há uma contribuição que foi silenciado, que do africanía, em linha com o branqueamento e a fala histórica em Argentina que transformou à comunidade africana e afrodescendiente na "primeiras pessoas desaparecidas", uma fala que repete até a fadiga no bom senso e com o que é complicado para lutar. Se a música é um gerando importante de identidades, é necessário não perder de visão a participação e o impronta afro no gênero arquetípico que define o argentinidad e é característico do Río de la Plata região, desde que faz à definição de uma marca multicultural onde a impressão africana, entre outras, define o “ser argentino” e, em geral, o impronta dele é forte na área do Río de la Plata. De acordo com estimativas e inquéritos, eles são dois milhão afrodescendientes na Argentina e o último Censo (2010) quase indicou 150.000 que eles são reconhecidos a si mesmos, pela primeira vez na história nacional.


Palavras-chave: tango, identidade, música, Argentina, afrodescendência.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
FREIXA, Omer Nahum. TANGO E IDENTIDADE: Problematizando o lugar da afrodescendência na Argentina. ODEERE - Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade, [S.l.], v. 3, n. 6, p. 43-62, dez. 2018. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/3739>. Acesso em: 13 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v3i6.3739.