GÊNERO E ETNICIDADE: Conhecimentos de urgência em tempos de barbárie

  • Mary Garcia Castro Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade

Resumo

Este artigo-ensaio discute a propriedade do chamado paradigma da complexidade (Morin) conjugado ao pensamento crítico (Nussbaum) para analises relacionadas a gênero assim como aquelas que focalizam relações étnicas em especial em tempos que se tende a verdades pautadas em ‘pensamento único. Advoga-se que há que combater simplificações sobre tais temas, questionando-se por exemplo, a campanha que considera gênero como ideologia e etnicidade como orientado exclusivamente à tradição e povos originais, ressaltando os trânsitos entre cultura, política e projetos de resistência. Contudo se adverte que tanto interdisciplinaridade como pensamento complexo, pedem ambiências institucionais abertas ao diálogo, o não abandono do disciplinar. Alem de conhecimento das doxas das disciplinas que se combinam e observação do princípio Foulcaultiano quanto a equação saber/poder. Mais se estende sobre gênero como conhecimento em aberto que vem inclusive sendo questionado por alguns autores pela multiplicidade performática (e.g. Butler) e ressalta que tanto gênero e sexualidade, assim como relações étnicas   pedem ênfase em teias de relações sociais, debates teóricos submetidos ao crivo de estudos etnográficos,  já que comportam diversidades  de realizações, vivencias e  nexos entre textos e contextos.


Palavras chaves: pensamento complexo; interdisciplinaridade, gênero, relações étnicas

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
CASTRO, Mary Garcia. GÊNERO E ETNICIDADE: Conhecimentos de urgência em tempos de barbárie. ODEERE, [S.l.], v. 3, n. 6, p. 81-101, dez. 2018. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/4239>. Acesso em: 22 jan. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v3i6.4239.