Diáspora africana na espoliação e restituição de bens culturais: um ensaio acerca das discussões contemporâneas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.5741

Palavras-chave:

Bens Culturais, Pós-Colonialismo, Restituição

Resumo

Durante o período colonial, milhares de artefatos culturais foram levados do continente africano pelos europeus. Nos últimos anos, a restituição de bens culturais tem chamado atenção de teóricos, governos, órgãos internacionais e regulamentações jurídicas. Contudo, há pouca informação sobre a forma como essa realidade se apresenta e é discutida. Este ensaio é uma proposta de investigação sobre a restituição dos bens culturais retirados no contexto do colonialismo, considerando a relação de países europeus com países africanos. Trata-se de analisar a constituição do regime internacional de proteção e restituição do patrimônio cultural, seus princípios, limites e possibilidades, tendo em vista alguns casos de processos restitutivos realizados a partir da década de 1990 e suas narrativas. Em meio aos debates acerca da descolonização das relações entre ex-metrópoles e ex-colônias e os efeitos ainda presentes do colonialismo, este trabalho põe em marcha uma proposta teórico-metodológica que aposta no papel da memória e sua potência no que toca ao direito humano à cultura e à identidade.  

Palavras-chave: Bens Culturais. Decolonialidade. Restituição. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

<section style="text-align: justify; padding: 3px;"><span class="TextRun SCXW129413442 BCX0" lang="PT-BR" xml:lang="PT-BR" data-contrast="none"><span class="NormalTextRun SCXW129413442 BCX0">ABRANCHES, Henri. Identidade e património cultural. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 1989.

BESTERMAN, Tristam. Crossing the Line: Restitution and Cultural Equity. In TYTHACOTT, L; ARVANITIS, K. Museums and restitution: new practices, new approaches. Londres: Ashgate, 2014.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2019.

BORGES, Luiz Carlos; BOTELHO, Marilia Braz. Museus e restituição patrimonial - entre a coleção e a ética. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação Inovação e inclusão social: questões contemporâneas da informação. Rio de Janeiro, 2010.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BRANDÃO, Aivone C. O museu na aldeia: comunicação e transculturalismo (o Museu Missionário Etnológico Colle Don Bosco e a aldeia Bororo de Meruri em diálogo). Tese apresentada ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2003.

CARLTON, Katherine. Native American material heritage and the digital age: “virtual repatriation” and its implications for community knowledge sharing”. (Dissertação de Mestrado). Universidade de Michigan, 2010.

FANON, Frantz. Pele negra, máscara branca. Salvador: EDUFBA, 2008.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

HARRISON, Rodney. Heritage: Critical Approaches. Nova Iorque: Routledge, 2013.

HOUTONDJI, Paulin J. (Org.). O antigo e o moderno: a produção do saber na África contemporânea. Luanda: Edições Pedago, 2012.

JOY, Charlotte. Arte africana em museus do ocidente é patrimônio e não herança. Nexo Jornal, 2 de Março de 2019.

LEWIS, Geoffrey. Universal Museums: The Universal Museum: a Special Case? ICOM News. V.1: 3, 2004.

MATOS, Inês Carvalho. Os objetos artísticos e a integração da epopeia marítima portuguesa na identidade civilizacional europeia: uma reflexão transdisciplinar. In RIBEIRO, Rita (et. al.). A Europa no mundo e o mundo na Europa: crise e identidade. E-book, 2017.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2017.

MOULEFERA, Tayeb. Algeria. Museum: return and restitution of cultural property. Paris: Unesco, Vol. 31, ano 1, 1979.

MOUTINHO, Mario C. Definição evolutiva de sociomuseologia. XIII Atelier Intenacional do MINOM, Lisboa/Setúbal, 2007.

MUDIMBE, Valentin. A Invenção da África. Indianápoles: Indiana 1989.

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

PETERS, Robert. Complementary and alternative mechanisms beyond restitution: An interestoriented approach to resolving international cultural heritage disputes. Tese de Doutorado. European University Institute. Florença, Itália, 2011.

PERALTA, Elsa; ANICO, Marta (Org). Patrimónios e Identidades: ficções contemporâneas. Oeiras: Celta Editora, 2006.

PROTT, Lyndel V. Witnesses to History: a compendium of documents and writings on the return of cultural objects. Paris: Unesco, 2009.

ROEHRENBECK, Carol A. Repatriation of Cultural Property – Who Owns the Past? An Introduction to Approaches and to Selected Statutory Instruments. International Journal of Legal Information. Vol. 38: Issue 2, Article 11, 2010.

SANÉ, Pierre. Reivindicações articuladas (e contestadas) de reparação dos crimes da história, a propósito da escravidão e do colonialismo, por ocasião da conferência de Durban. Genebra: Unesco, 2002.

SAVOY, Bénédicte; SARR, Felwine. The Restitution of African Cultural Heritage. Toward a New Relational Ethics. Paris: Ministério da Cultura da França, 2018.

THOMPSON, Analucia. Coleções etnográficas e patrimônio indígena. XXVII Simpósio Nacional de História: Conhecimento histórico e diálogo social. Natal, 2013.

TRINDADE, Júlia Coelho Ferreira. Restituição de bens patrimoniais em Portugal: Da década de 1980 à actualidade. Dissertação de Mestrado em História e Patrimônio. Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2018.

UNESCO. Comitê Intergovernamental para a Promoção do Retorno dos Bens Culturais aos seus Países de Origem ou sua Restituição em caso de Apropriação Ilícita. Paris: Unesco, 1978.

VICENTE, Álex. Devolução dos tesouros africanos coloca em alerta os museus etnográficos. El país. Dezembro de 2018.

ZANIRATO, Silvia Helena. Usos sociais do patrimônio cultural e natural. UNESP v. 5, n.1, p. 137-152 - São Paulo, 2009.</section>

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

de Cerqueira, A. P. C. (2020). Diáspora africana na espoliação e restituição de bens culturais: um ensaio acerca das discussões contemporâneas. ODEERE, 5(9), 379-390. https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.5741