Memórias e histórias da comunidade Quilombola Orquídio Pereira

Resumo

Os estudos sobre as comunidades quilombolas tem se ampliado significativamente nos últimos anos no Brasil. Áreas como História, Sociologia, Antropologia, Educação tem evidenciado, com diferentes enfoques teóricos e metodológicos, a importância de se compreender as dimensões histórias, culturais, educacionais dessas comunidades. Neste artigo apresentamos aspectos da história e memória da comunidade quilombola Orquídio Pereira. Os dados foram construídos por meio de entrevistas com moradores antigos e nos permitiu entender as memórias de moradores em uma perspectiva benjaminiana.


Palavras-chave: Memória. Narrativa. Comunidade quilombola.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Referências

ARRUTI, José Maurício. Quilombos. In: SANSONE, Lívio; PINHO, Osmundo Araújo (org.). Raça: novas perspectivas antropológicas. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 315-351.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2000.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política. 7.ed. São Paulo: Ed. Brasiliense,1994.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Ato das Disposições Constitucionais Transitórias: Art. 68. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Decreto nº 4.887 de 20 de novembro de 2003. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 2003.

DÓCIO, A. A.; PEROVANO FILHO, N. Extensão universitária é ato de aquilombor-se na contemporaneidade. Odeere – Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade vol.4, n.8, p.338-363, 2019. https://doi.org/10.22481/odeere.v4i8.6241

FERREIRA, Graziele N. Cinzento: memória de uma comunidade negra remanescente de quilombo. 195f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999.

FIABANI, Adelmir. Mato, palhoça e pilão: o quilombo, da escravidão às comunidades remanescentes (1532-2004). 2.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

LEITE, Ilka, Boaventura. O projeto político quilombola: desafios, conquistas e impasses atuais. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol.16, n.3, p.965-977, 2008. https://doi.org/10.1590/s0104-026x2008000300015

LEITE, Ilka Boaventura. Os quilombos no Brasil: questões conceituais e normativas. Etnográfica, Lisboa, v. IV, n. 2, p. 333-354, 2000.

LIMA, Vivian I. Raízes, frutos e tramas: pertencimentos, relações étnicas e saberes na comunidade quilombola do Baixão (Vitória da Conquista – Ba). 124f. Dissertação (Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2018.

MELO, Ana Lúcia Aguiar et al. “Palmas” para o quilombo: processo de territorialidade e etnicidade negra. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2011.

O’DWYER, Eliane Cantarino (Org.). Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

OLIVEIRA, R. F. Índios Paneleiros no Planalto da Conquista: do massacre e o (quase) extermínio aos dias atuais. 221f. Dissertação (Mestrado em História). UFBA, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Salvador, 2012.

OLIVEIRA, C. A. Quenta Sol: a história e a memória de uma comunidade negra através da sua oralidade. 139f. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Estadual Paulista, Franca, 2010.

SEIXAS, Jaci. Percursos de memórias em terras de história: problemáticas atuais. In: BRESCIANI, Stella e NAXARA, Márcia (Orgs.). Memória e (res)sentimento: indagações sobre uma questão sensível. Campinas: Ed. Unicamp, 2001.
Publicado
2020-06-30
Como Citar
EUGENIO, Benedito et al. Memórias e histórias da comunidade Quilombola Orquídio Pereira. ODEERE, [S.l.], v. 5, n. 9, p. 154-179, jun. 2020. ISSN 2525-4715. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/6613>. Acesso em: 08 jul. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.6613.