Histórias e memórias das lideranças quilombolas de Queimadas: olhares que se cruzam

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.6714

Palavras-chave:

Lideranças; Quilombo; Educação; Memória; História.

Resumo

Este texto apresenta algumas reflexões de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), escrito a partir de uma pesquisa de Iniciação Científica (IC), realizada durante os anos de 2017 a 2019. Este estudo tem como objetivo conhecer as histórias e memórias da comunidade quilombola de Queimadas, situada no município de Guanambi Ba, tendo como foco as trajetórias de vida dos líderes locais e sua relação com a educação escolar. Foram utilizados como instrumentos de pesquisa entrevistas semiestruturadas com sete lideranças quilombolas, observação participante e diário de campo. Para a análise e a interpretação dos dados recorreu-se da técnica de análise de conteúdo na modalidade temática. Os resultados sinalizam as dificuldades vivenciadas durante a infância e juventude dos quilombolas e que permanecem até os dias atuais. É possível perceber como os olhares se cruzam através dos discursos que retomam nas experiências durante a formação da comunidade. Além disso, a intensa relação com o trabalho e ausência de políticas públicas é recorrente nos relatos apresentados. Dentre os vários fatores que dificultaram e/ou dificultam os quilombolas permanecerem na escola, com vistas ao processo de escolarização, podemos destacar, o currículo que produz a invisibilidade desses sujeitos e a migração em busca da sobrevivência. Nesse sentido, é urgente uma escola dentro da comunidade, referenciada na perspectiva de uma educação escolar quilombola, tendo os líderes locais como protagonistas, para que os conteúdos escolares dialoguem com suas histórias, memórias, lutas e vivências. Ademais, é imprescindível investimento do poder público local, para a melhoria da qualidade de vida dos quilombolas, bem como formação específica dos professores, tendo em vista a construção de uma educação diferenciada, contextualizada e antirracista.

Palavras-chave: Lideranças; Quilombo; Educação; Memória; História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

<section style="text-align: justify; padding: 3px;"><span class="TextRun SCXW129413442 BCX0" lang="PT-BR" xml:lang="PT-BR" data-contrast="none"><span class="NormalTextRun SCXW129413442 BCX0">ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da Prática escolar. 15. Ed. Campinas. São Paulo: Papirus, 2008.

BA, Territórios de Identidade. SEPLAN. Secretaria de Planejamento. Disponível em: Seplan.ba.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=17. Acesso em: 15 de maio de 2020.

BRASIL, Fundação Cultural Palmares. Certidões expedidas e Comunidades certificadas (Dados atualizados até a Portaria nº 36 de 21/02/2020). Disponível em: http://www.palmares.gov.br/?page_id=37551. Acesso em: 05 de mai. de 20.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

Brasil, Presidência da República Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. DECRETO Nº 4.887, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/D4887.htm. Acesso em: 15 de maio de 2020.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. Parecer homologado CNE/CEB, 16/12 do Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica, publicado no D.O.U. de 20/11/2012, Seção 1, Pág. 8, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Brasília, DF, 2012a.

COSTA, Cândida da; HORTA, Carlos Roberto; ROLDAN, Martha Íris. Novas formas de exploração do trabalho e inflexões do modelo de desenvolvimento: precarização do trabalho e migração no século XXI. 2007. Disponível em: https://r.search.yahoo.com/_ylt=Afwww.periodicoseletronicos.ufma.br. Acesso em: 24 mai. 2019.

GOMES, Nilma Lino.Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, Jan/Abr2012.

LIMA, Hayla Fernanda Moura; MACÊDO, Dinalva de Jesus Santana. A Comunidade Quilombola de Queimadas: a luta pelo reconhecimento e valorização da memória/história. Revista Práxis Educacional, v. 16, n. 39, p. 520-542, abr-jun. 2020. <a href="https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i39.6407" rel="DOI">https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i39.6407</a> Acesso em: 08 mai. 2020.

MACÊDO. Dinalva de Jesus Santana. O Currículo Escolar e a Construção da Identidade Étnico-racial da Criança e do Adolescente Quilombola: um olhar reflexivo sobre a autoestima. 2008. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, 2008.

MACÊDO. Educação em Comunidades Quilombolas do Território de Identidade do Velho Chico/BA: indagações acerca do diálogo entre as escolas e as comunidades locais. 2015. 217 f. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, 2015.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. 5 ed. São Paulo: Loyola, 2005.

PONTES, Sabrina Kelly. Migrações de trabalhadores maranhenses para o corte da cana-de-açúcar no interior do estado de São Paulo: o percurso da “precisão”. 2010. Tese (Doutorado) Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2010.

SANTANA, Élida Roberta Soares de; FERRAZ, Bruna Tarcilia. Formação continuada para a educação das relações étnicoraciais: relatos de cursistas do UNIAFRO-UFRPE. ODEERE – Revista do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade. Vol. 4 n. 8, Jul –Dez. 2019. P 221-235. <a href="https://doi.org/10.22481/odeere.v4i8.5754" rel="DOI">https://doi.org/10.22481/odeere.v4i8.5754</a>

SANTOS, Jamille Pereira Pimentel dos. As etnicidades geracionais presentes na dinâmica do nascer, viver e morrer na comunidade quilombola Queimadas, Guanambi/BA. 2017. 198 f. Dissertação (Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, Bahia, 2017.

SILVA. Simone Rezende da. Quilombos no Brasil: a memória como forma de reinvenção da identidade e territorialidade negra. In: LOMBA, Roni Mayer, et. al (org.). Conflito, territorialidade e desenvolvimento: algumas reflexões sobre o campo amapaense. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2014.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade – uma introdução às teorias do currículo. 3. Edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SILVA, Valdélio Santos. Rio das Rãs à luz da noção de quilombo. 1999. Disponível em: https://docplayer.com.br/36527896-Santos-silva-valdelio-rio-das-ras-a-luz-da-nocao-de-quilombo-afro-asia-num-23-1999-p-0-universidade-federal-da-bahia-bahia-brasil.html. Acesso em: 10 de março de 2019. </section>

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

Teixeira, Érica S. S., & Macêdo, D. de J. S. (2020). Histórias e memórias das lideranças quilombolas de Queimadas: olhares que se cruzam. ODEERE, 5(9), 180-204. https://doi.org/10.22481/odeere.v5i9.6714