A escrita, a oralidade e a construção do poder eclesiástico no Orbis Romanorum

  • Márcia Santos Lemos

Resumo

Entre os séculos IV e V d.C., e elite episcopal, apesar de heterogênea, já havia se constituído numa força religiosa e política, que cumpria funções importantes no fortalecimento da Igreja cristã. As diversas tarefas desempenhadas por este grupo eram orientadas pela intenção de construir a hegemonia do pensamento cristão, torná-lo legítimo e dominante. Neste artigo, interessa compreender como o episcopado utilizou a escrita e a oralidade para formular a ortodoxia, afirmar a identidade cristã, consolidar a influência do poder eclesiástico no Orbis Romanorum e apresentar os interesses da Igreja como universais. Esse estudo foi elaborado a partir de um conjunto de discursos variados (tratados, crônicas, epístolas e sermões), produzidos por bispos influentes de distintas regiões do Império Romano.


 

Publicado
2018-05-17
Como Citar
LEMOS, Márcia Santos. A escrita, a oralidade e a construção do poder eclesiástico no Orbis Romanorum. Politéia - História e Sociedade, [S.l.], v. 16, n. 1, maio 2018. ISSN 2236-8094. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/3744>. Acesso em: 19 dez. 2018.