Aristocracia e Igreja na Crise do século XIV em Portugal

  • Carlos Roberto Figueiredo Nogueira

Resumo

A crise do século XIV implicou em uma baixa generalizada na renda senhorial. A redução da população, a fuga dos campos deixam muitas terras sem cultivo ou com um cultivo insuficiente. A baixa nos preços dos produtos agrícolas e a redução do valor da terra ameaçam os estatutos econômicos e sociais da nobreza cuja necessidade para conter as invasões castelhanas também é fundamental para assegurar a defesa interna do reino contra as guerras civis e a crescente turbulência aristocrática.  Um olhar sobre as leis das contias  nos permite observar o empobrecimento da quantidade de renda pela qual um homem era obrigado a se armas e ter cavalos ao longo do século XIV.

Publicado
2018-05-17
Como Citar
NOGUEIRA, Carlos Roberto Figueiredo. Aristocracia e Igreja na Crise do século XIV em Portugal. Politéia - História e Sociedade, [S.l.], v. 16, n. 1, maio 2018. ISSN 2236-8094. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/3746>. Acesso em: 19 dez. 2018.