Fontes processuais historiográficas da Justiça do Trabalho

importância e vulnerabilidade

  • Antero Maximiliano Dias dos Reis Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)
  • Conrado de Oliveira e Silva Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc); Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina (Cesusc).
  • Marcos Alberto Rambo Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

Resumo

O presente artigo objetiva problematizar a importância e a vulnerabilidade das fontes processuais da Justiça do Trabalho. Inicialmente, pretende-se evidenciar as tentativas de extinção da legislação e do próprio Judiciário trabalhista, que, nos últimos tempos, tem sido amplamente agredido pela aplicação de políticas neoliberais. Em seguida, busca-se analisar as potencialidades e principais características dos documentos da Justiça do Trabalho como fonte historiográfica. O artigo se conclui com a apresentação de pesquisas recentemente realizadas no acervo Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, com foco sobre os resultados obtidos pelos trabalhadores e trabalhadoras no ajuizamento de suas causas.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor colaborador da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Doutor em História Econômica pela Universidade de São Paulo (USP).

##submission.authorWithAffiliation##

Graduando em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e em Direito pelo Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina (Cesusc).

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

Publicado
2019-06-01
Como Citar
REIS, Antero Maximiliano Dias dos; SILVA, Conrado de Oliveira e; RAMBO, Marcos Alberto. Fontes processuais historiográficas da Justiça do Trabalho. Politéia - História e Sociedade, [S.l.], v. 18, n. 1, p. 21-39, jun. 2019. ISSN 2236-8094. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/5161>. Acesso em: 06 dez. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/politeia.v18i1.5161.